Reunião da ONU termina sem punição a Israel

Terminou, na madrugada de hoje, a reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU convocada pela Síria para discutir o bombardeio de Israel contra a Síria, neste domingo, em represália ao ataque suicida de sábado que deixou 19 israelenses mortos em Haifa. Não foi tomada, por enquanto, nenhuma postura de condenação a Israel - que acusa a Síria de manter bases palestinas de treinamento.A maioria dos integrantes do Conselho criticou tanto o atentado de sábado, assumido pelo grupo palestino Jihad Islâmica, quanto o revide de Israel. O embaixador dos Estados Unidos, John Negroponte, que presidiu a reunião, preferiu focar a questão na Síria. Para ele, "o importante é que o país desmantele a estrutura terrorista presente em seu território".O israelense Dan Gillerman acusou a Síria de ser "cúmplice e responsável" pelos ataques suicidas em seu país. Para o embaixador, a convocação de uma reunião pela Síria para tratar dos conflitos "é o mesmo que o Taleban querer discutir na ONU os ataques de 11 de setembro".Na ONU, o sentimento era de preocupação pela escalada de violência no Oriente Médio. Uma nova reunião do Conselho de Segurança deve acontecer na tarde desta segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.