Reunião de Parlamento da Coreia do Norte pode discutir sucessão

Afastado dos holofotes, líder norte-coreano pode escolher filho como sucessor

Reuters

09 de abril de 2010 | 10h08

SEUL - A Coreia do Norte convocou nesta sexta-feira, 9, a reunião anual de seu parlamento, na qual tradicionalmente são reveladas as mudanças nas hierarquias governamentais e onde poderá ser adiantados os planos sucessórios da dinastia comunista.

 

Pyongyang está sob pressão para por fim ao boicote às negociações sobre armas nucleares, enquanto as tensões com seu vizinho rico do sul esquentaram após o naufrágio de um navio sul-coreano, que Seul acredita poder ser responsabilidade da Coreia do Norte.

 

Na sessão parlamentar do ano passado, o líder Kim Jong-il fez sua primeira aparição em público logo depois de ter sofrido um suposto acidente vascular em 2008. Podia-se vê-lo debilitado, com menos cabelo e sem sua característica barriga.

 

Kim, de 68 anos, nem sempre assiste às sessões, e quando o faz, não tem o costume de falar.

 

As imagens do líder norte-coreano nas mídias estatais durante o último ano têm mostrado Kim com um aspecto melhor.

 

Kim Jong-il enfrentou uma crise atípica para seu mandato de ferro no final do ano passado, quando uma reforma no câmbio provocou um mal-estar civil inédito por causa dos aumentos dos preços, o que dificultou ainda mais a obtenção de bens já escassos no país isolado.

 

O líder norte-coreano entretanto não revelou quais são os planos para a sucessão no país em que sua família governa a 60 anos.

 

Fontes da inteligência disseram que a elite norte-coreana foi informada de que Kim

tem a intenção de tornar seu filho mais novo, Kim Jong-un, seu herdeiro no poder.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do NorteKim Jong-ilsucessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.