Reunião de Solana e Larijani sobre programa nuclear é suspensa

A reunião prevista para esta quarta-feira em Viena entreo responsável pela política externa da União Européia (UE), JavierSolana, e o principal negociador nuclear iraniano, Ali Larijani, foiadiada em "vários dias". O anúncio foi feito nesta quarta-feira à Efe por uma fonte da missão permanentedo Irã na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em Viena,sem citar a nova data do encontro. No entanto, a porta-voz de Solana, Cristina Gallach, consultadapor telefone pela Efe em Viena, ainda não confirmou o cancelamentodo encontro. Diplomatas europeus tinham indicado ontem que a reunião seriarealizada nesta quarta-feira na capital austríaca, onde se encontra a sede daagência nuclear da ONU, que investiga o programa nuclear iraniano hámais de três anos. O encontro entre Solana e Larijani deveria ocorrer na véspera dacúpula de ministros de Assuntos Exteriores de Alemanha, França,Reino Unido, Estados Unidos, Rússia e China, prevista para estaquinta-feira em Berlim. Essas seis potências, que em junho elaboraram um pacote deincentivos econômicos e nucleares para o Irã em troca da suspensãode seu programa nuclear, deverão iniciar as consultas sobre apossibilidade de impor sanções à República Islâmica. O Irã ignorou o ultimato do Conselho de Segurança das NaçõesUnidas, que exigia que Teerã suspendesse seu programa deenriquecimento de urânio até 31 de agosto. Os EUA reiteraram na noite de terça-feira seu desejo de sanções ao Irã omais rápido possível, apesar de Rússia e China continuarem sendoreticentes a esta punição. O presidente dos EUA, George W. Bush, afirmou que a decisão deTeerã de continuar com o enriquecimento de urânio significa "umisolamento do país". "As nações livres não vão deixar o Irã desenvolver seu programanuclear", acrescentou em discurso na Associação Americana deOficiais Militares em Washington. Por sua parte, Gregory Schulte, embaixador americano na AIEA,disse ontem em Viena que "chegou o momento de o Conselho deSegurança respaldar a diplomacia internacional com sanções".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.