Charles Sholl/Futura Press
Charles Sholl/Futura Press

Reunião entre Coreias foi 'histórica', diz nota do Itamaraty

Ministério das Relações Exteriores saudou os países e afirmou compromisso com a paz, diplomacia e solução de conflitos

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2018 | 16h20

BRASÍLIA - Em nota, o governo brasileiro elogiou o encontro entre o presidente da República da Coreia, Moon Jae-in, e o líder da República Popular Democrática da Coreia, Kim Jong-un.  A reunião de cúpula, na avaliação do governo brasileiro, foi “histórica tanto pela simbologia como pelos resultados alcançados”. Os compromissos contidos na Declaração de Panmunjom para a Paz, Prosperidade e Unificação da Península Coreana são considerados pelo governo brasileiro fundamentais para a normalização das relações entre os dois países e para a construção da paz definitiva na região.

+ Os pontos-chave da Declaração de Panmunjom, assinada na cúpula intercoreana

Os principais pontos dessa declaração, diz a nota emitida pelo Ministério das Relações Exteriores, são a decisão de manter abertos os canais de diálogo de alto nível, estabelecer um escritório permanente de ligação, enfrentar o problema das famílias separadas desde a época da divisão da península e cessar “completamente” os atos de hostilidade a partir do próximo dia 2 de maio. O documento ressalta ainda a decisão de ir além do armistício e buscar a paz definitiva, além da eliminação gradual de armas nucleares. Outro ponto citado na nota é a disposição de trazer outros países para o diálogo, como Estados Unidos e China.

“O Brasil saúda o conteúdo da declaração e reafirma seu compromisso com a paz, o banimento das armas nucleares e o primado da diplomacia e do direito internacional na solução de conflitos”, conclui a nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.