Reunião entre Olmert e Abbas terá uma "agenda aberta"

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, vão se reunir, neste domingo, em Jerusalém com uma "agenda aberta", às vésperas da formação do novo Governo palestino de união nacional, cujo anúncio está previsto para a próxima quinta-feira.A reunião entre os dois dirigentes, precedida por outra tripartida com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, em fevereiro, acontecerá à tarde, segundo fontes israelenses.Olmert vai informar a Abbas que Israel não reconhecerá o próximo Governo de unidade entre seu movimento nacionalista Fatah e o islamita do primeiro-ministro designado, Ismail Haniyeh, do Hamas, se este último insistir em não reconhecer a legitimidade do Estado judeu fundado em 1948, indicaram fontes governamentais.Nesse caso, o Governo israelense também não aceitará retomar as negociações de paz com a Autoridade Nacional Palestina (ANP).O ex-ministro para Assuntos de Prisioneiros palestino Qadura Fares, legislador do Fatah, afirmou à rádio pública israelense que o Hamas se comprometeu a respeitar os acordos da ANP com Israel, "e isto implica o reconhecimento pleno" do Estado judeu.Segundo fontes palestinas, o presidente Abbas pedirá a Olmert que espere a formação do novo Gabinete Nacional da ANP antes de anunciar que Israel não o reconhecerá nem negociará com esse Governo por causa da participação do Hamas.O assessor político do presidente palestino para as negociações com Israel, Saeb Erekat, disse aos jornalistas que a reunião terá uma "uma agenda aberta", para repassar assuntos pendentes e manter o contato pessoal.Abbas deve retornar na segunda-feira à Cidade de Gaza a fim de continuar negociando com Haniyeh a formação do novo Governo. O primeiro-ministro declarou, no sábado, que o Executivo será anunciado na próxima quinta-feira e que dois dias depois pedirá o voto de confiança ao Conselho Legislativo.Segundo as fontes israelenses, nesta reunião Olmert não tem intenção de "fazer concessões" a Abbas - como a de suspender o embargo às transferências que Israel recolhe como agente de retenção de impostos da ANP ou libertar prisioneiros palestinos - antes que o Hamas liberte o soldado Gilad Shalit, seqüestrado no ano passado.Acredita-se que um dos principais assuntos da reunião será a troca de Shalit, capturado por comandos de Gaza, onde permanece cativo, por centenas de palestinos detidos em prisões israelenses.Fontes do Governo israelense dizem que Olmert não oferecerá a Abbas a transferência de dinheiro arrecadado por Israel como agente de retenção de impostos e taxas alfandegárias da ANP, como o fez em sua primeira reunião de dezembro.O embargo israelense faz parte do boicote imposto pela comunidade internacional ao Governo do primeiro-ministro Haniyeh, e ao Hamas, que chegou há um ano ao poder. Um dos principais objetivos do Governo de unidade com o Fatah é o de superar o embargo que atinge todo o povo palestino.Segundo uma fonte governamental israelense citada pela imprensa local, Olmert dirá ao líder palestino para não incluir no Gabinete de unidade com o Hamas personalidades com as quais Israel mantém contatos freqüentes, como o ex-ministro das Finanças Salam Fayyad e o coronel Mohammed Dahlan, seu assessor de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.