Reuniões entre Europa e Arafat são ruins, diz Sharon

O premier israelense Ariel Sharon lançou um duro ataque à política da União Européia (UE) em relação ao presidente da Autoridade Palestina (AP), Yasser Arafat, um dia depois da missão diplomática realizada pelo secretário de Estado americano, Collin Powell, na região. As reiteradas reuniões de Arafat com dirigentes europeus "acarretam graves danos", afirmou hoje o primeiro-ministro israelense em uma entrevista ao site na Internet Ynet, do jornal Yediot Ahronot. "Não só Israel, como também os EUA pensam o mesmo", acrescentou Sharon, esclarecendo que Israel só aceitará nos territórios palestinos a movimentação de observadores americanos. Sharon destacou que as visitas continuadas de representantes europeus a Arafat "impedem a realização das reformas" na Autoridade Palestina."Arafat não acabou com sua estratégia de terrorismo. Qualquer possibilidade adicional que lhe seja concedida para reforçar (seu poder) torna mais complexa e impede esta atividade de segurança", disse. Sharon assegurou que o presidente da AP continua protegendo "18 terroristas, entre eles chefes de diversas organizações". "Querem saber se (Arafat) reconquistará a liberdade de movimentos? Eu acho que não", disse, referindo-se ao cerco mantido por Israel ao líder palestino em Ramallah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.