Reuters deve demitir mais mil pessoas, dizem jornais britânicos

A agência britânica de notícias Reuters deve anunciar esta semana o pior resultado financeiro de sua história e a eliminação de 1.000 postos de trabalho, no marco de um drástico programa de reestruturação. De acordo com a imprensa inglesa, entre eles o The Independent e o The Observer, a Reuters teria registrado prejuízo de 500 milhões de libras esterlinas (aproximadamente US$ 748 milhões) no ano passado. De acordo com os jornais, esta seria a primeira vez que a Reuters, desde que começou a ser negociada em bolsa (1984), deixar de registrar algum lucro. Os jornais informam ainda que a agência britânica de notícias deve voltar a centrar-se na base tradicional de seus negócios, que consiste em fornecer informações financeiras, e abandonar sua atividade no campo da programação informática. Nos últimos 21 meses, o grupo já demitiu 2.750 postos de trabalho, reduzindo sua folha de pagamento para 18 mil empregados. A imprensa informa que os resultados da Reuters foram afetados pela queda de suas vendas a empresas financeiras e pela retração das atividades de fusões e aquisições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.