Reverendo envolvido em escândalo admite compra de droga

O reverendo Ted Haggard, que acaba de renunciar ao posto de presidente da Associação Nacional de Evangélicos dos Estados Unidos por causa de um escândalo sexual, admitiu nesta sexta-feira ter recebido massagem de um ex-garoto de programa e também ter comprado a substância meta-anfetamina. "Eu comprei (a droga), mas nunca usei. Sofri uma tentação, mas não usei", declarou Haggard. O ex-garoto de programa Mike Jones diz que recebeu dinheiro para fazer sexo com o reverendo, que é radicalmente contrário ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Na próxima terça-feira, juntamente com as eleições legislativas americana, o Colorado e outros sete Estados norte-americanos votarão emendas sobre casamento gay. O reverendo nega ter feito sexo com o homem que fez as acusações. Segundo o religioso, os dois se encontraram em um hotel, onde ele recebeu uma massagem. No entanto, Jones afirma que foi pago nos últimos três anos para manter relações sexuais com Haggard quase todos os meses. Ainda de acordo com o ex-garoto de programa, Haggard usou meta-anfetaminas em todos os encontros entre os dois. O escândalo derrubou o líder religioso da presidência da Associação Nacional de Evangélicos dos Estados Unidos, que congrega 30 milhões de membros no país. Ele também se afastou da igreja New Life, que congrega 14 mil fiéis. Pai de cinco filhos, Haggard assumiu a presidência da associação em 2003 e é um dos cristãos evangélicos mais influentes dos Estados Unidos. Ele promoveu diversas campanhas contra as propostas de legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo nos Estados Unidos. As acusações ao reverendo foram feitas durante um programa de rádio em Denver, no Colorado. Jones afirmou que estava revelando detalhes do relacionamento devido à posição pública do reverendo Haggard a respeito do casamento homossexual. "Me deixou zangado o fato de alguém que se opunha tão fortemente ao casamento gay manter relações homossexuais atrás dos bastidores", disse Jones à agência de notícias Associated Press.

Agencia Estado,

03 Novembro 2006 | 20h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.