Revista croata diz ter prova da venda ilegal de armas

A revista croata Globus revelou hoje que tem em seu poder documentos sobre a venda ilegal de armas argentinas para a Croácia nos anos 90, que teria sido realizada através da mediação de Dinko Sakic - condenado por crimes durante a última guerra na região. Hoje, o ex-presidente argentino Carlos Menem foi preso sobre a acusação de envolvimento na operação.O semanário, que irá às bancas nesta sexta-feira, sustenta ter provas de operações ilegais de armas e dinheiro entre Buenos Aires e Zagreb, que agora estão sendo investigadas pela Justiça argentina - operações nas quais estaria envolvido Menem. A documentação sobre as operações - que em várias ocasiões foi solicitada pela Argentina, que nunca a pôde receber - existe, porém apenas em parte. Outra parte teria sido sonegada por Miroslav Tudjman, ex-chefe dos serviços secretos e filho do ex-presidente Franjo Tudjman, e outra ainda teria sido destruída, diz o Globus. O semanário afirma ter testemunhas que confirmam a participação de Sakic nas transações ilegais de venda de armas argentinas para a Croácia. O croata Sakic, naturalizado argentino, foi extraditado da Argentina para a Croácia em 1998, após ser descoberto por um canal de televisão argentino na província de Buenos Aires, e mais tarde condenado à prisão perpétua por crimes de guerra. O criminoso croata tinha vínculos com a empresa Debrol, registrada no Uruguai e na Argentina. A empresa croata RH Alan entregou à Debrol US$ 19,5 milhões em 1993 e US$ 12,6 milhões em 1994, afirma a publicação.Um coronel argentino, Diego Palleros, teria sido o mediador da venda de armas, diz o Globus, acrescentando que o militar, com fortes vínculos com a cúpula no poder na Argentina, fugiu em 1996 para a África do Sul para evitar ser processado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.