Revista online estimula mulher islâmica a pegar em armas

Uma revista publicada na internet, que alega ligação com dois agentes mortos da Al-Qaeda, foi lançada por um grupo de mulheres muçulmanas para recrutar mais mulheres para a luta contra os infiéis. A revista Al-Khansaa, que espera manter periodicidade mensal, também oferece dicas de ginástica para ?jihadis? (guerreiras santas); informação sobre primeiros-socorros; e conselhos sobre como educar os filhos para que lutem contra os descrentes. A revista, publicada em diversos websites de radicais islâmicos, alega ter começado ?pela iniciativa? de Abdulaziz al-Moqrin e Issa Saad Mohammed bin Oushan. Ambos foram mortos e constavam da lista dos 26 terroristas mais procurados da Arábia Saudita.O especialista islâmico egípcio Mohamed Salah fez pouco caso da revista de 22 páginas, descrevendo-a como um ?golpe de mídia? para mostrar que os terroristas ?são capazes de mobilizar até as mulheres?. Al-Khansaa, título da revista, é o nome de uma poeta árabe que se converteu ao islamismo ainda durante o tempo de Maomé e que enviou os quatro filhos para a guerra contra os infiéis. Todos morreram em combate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.