Revolta deixa mais três mortos no sul do Nepal

Mais três pessoas foram mortas na revolta que começou há mais de duas semanas na região de Terai, no sul doNepal, aumentando para 17 o número de vítimas no fim de semana, informou uma fonte oficial.Desde o dia 19 de janeiro, a minoria "madheshi", que vive em Terai, realiza protestos e violentas manifestações para reivindicar uma maior representação nas estruturas governamentais.A minoria "madheshi", que representa um terço da populaçãonepalesa, queixa-se de ser tradicionalmente marginalizada. O motivo dos protestos é ter sido excluída dos acordos de paz entre o governo e a guerrilha maoísta.Os últimos distúrbios aconteceram no domingo em Sarlahi, cerca de 250 quilômetros ao sudeste de Katmandu, onde, segundo o policial Kiran Gautam, as forças de segurança tiveram de recorrer às armas para controlar a multidão.Embora o governo tenha aceitado aumentar o número de cadeiras no Parlamento e formar uma equipe para dialogar com a minoria "madheshi", os ativistas qualificaram estas propostas de "insuficientes" e rejeitam uma negociação.O Nepal se encontra em plena transição política, depois que em abril do ano passado uma revolta popular obrigou o rei Gyanendra a renunciar a seus poderes absolutos.Em junho, acontecerão as eleições para formar uma Assembléia Constituinte que decidirá se o Nepal continua sendo uma Monarquia ou se será transformada em uma República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.