Revolta síria tem seu dia mais sangrento

Segundo a oposição, 343 pessoas foram mortas por forças de Assad na quarta-feira

BEIRUTE, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2012 | 03h04

As forças leais ao ditador da Síria, Bashar Assad, mataram 343 pessoas na quarta-feira, afirmaram ontem os Comitês de Coordenação Local, representantes no país dos insurgentes que tentam derrubar o regime há 18 meses. Esse é o maior número de mortes registrado num único dia desde o início do levante contra o regime de Damasco. A ONU afirmou que os refugiados do conflito sírio serão mais de 700 mil até o fim do ano.

As autoridades sírias enviaram ontem mensagens de texto para celulares de todo o país com uma mensagem aos insurgentes: "Fim de jogo". Assinadas pelo Exército sírio, as mensagens exigiam que os rebeldes entregassem suas armas e alertavam que o prazo para que combatentes estrangeiros deixem o país se esgotou. Aparentemente, os textos são parte da guerra psicológica que o regime trava contra seus opositores, mas é improvável que surtam algum efeito prático.

Segundo os dissidentes, as tropas oficiais lançaram ontem ataques de artilharia e bombardeios contra Hama, Latakia e Alepo - e 71 pessoas morreram no país em razão de ações armadas.

As entidades insurgentes afirmaram que, antes da quarta-feira, o dia mais sangrento do conflito havia sido 25 de agosto, quando, segundo os rebeldes, 330 pessoas morreram.

"O regime está aumentando a violência a cada oportunidade possível e está provado que (o governo) está determinado a esmagar a revolução de qualquer maneira", disse ontem à CNN Rafif Jouejati em nome dos comitês.

Ontem, Damasco atacou "um esconderijo de terroristas" e apreendeu fuzis da Rússia. "Na noite de quarta-feira, as autoridades destruíram vários carros de terroristas que carregavam armamentos e munição", afirmou a agência oficial de notícias síria Sana.

De acordo com o veículo estatal, um oleoduto foi destruído no mesmo dia e um funcionário petroleiro foi sequestrado pelos rebeldes sírios.

Refugiados. Ao anunciar a nova estimativa de deslocados no conflito sírio para 2012, a ONU afirmou que, juntamente com seus parceiros, busca arrecadar US$ 487,9 milhões para o apoio à população. Segundo as Nações Unidas, ao todo, 294 mil refugiados estão registrados ou esperam registro nos países vizinhos - e cerca de 3 mil deixam a Síria todos os dias. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.