?Revolução? da polícia francesa toma as ruas

Milhares de gendarmes, os soldados das Forças Armadas da França incumbidos de velar pela ordem pública, invadiram as cidades francesas para protestar contra os baixos soldos.Em quatro dias de agitação, o protesto dos gendarmes converteu-se em uma revolução, e agora se fala abertamente de uma crise grave na segurança interna.A mídia francesa informa que cerca de 12.000 gendarmes saíram às ruas, nesta sexta-feira, todos de uniforme - atitude expressamente proibida pelo regulamento -, e sem gorro na cabeça. E também nesta sexta, pela primeira vez, os gendarmes "conquistaram" a capital, tentando, inclusive, aproximar-se do Palácio do Eliseu, onde um cordão de policiais os esperava.Uma delegação de gendarmes foi recebida pelo general-comandante Paul Rocher. "Este não é um movimento sindical, mas não se deve excluir a gendarmeria dos progressos sociais do século XXI", afirmou o chefe da delegação.Mais tarde, os próprios policiais que haviam impedido a chegada dos gendarmes no Palácio do Eliseu aderiram ao protesto. Eram cerca de 1.500 manifestando, externando sua insatisfação contra "as insuficientes propostas salariais do governo".Por mediação do primeiro-ministro, Lionel Jospin, ocorrerá neste sábado uma reunião entre os representantes dos gendarmes e o ministro do Interior, Alain Richard, que durante dias se havia negado a receber os manifestantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.