Riad libertou 70% dos sauditas repatriados de Guantánamo

Cerca de 70% dos sauditas repatriados nos últimos três anos de Guantánamo foram postos em liberdade após comprovar que não têm relação com grupos ou ações terroristas, informou nesta quinta-feira, 12, um porta-voz saudita.Mohamad Mohie al-Nuyemi, membro do Comitê de Ajuda aos Detidos, assegurou ainda que as autoridades de Riad julgarão, em Cortes Islâmicas, os repatriados vinculados com o extremismo ou o terrorismo.Em declarações aos jornalistas em Riad, Al-Nuyemi não precisou o número exato de sauditas extraditados a seu país, mas afirmou que 30% deles ainda estão sendo submetidos a interrogatórios.Fontes sauditas estimaram em 76 o total dos sauditas que permanecem detidos em Guantánamo, e indicaram que as autoridades de Riad continuarão os contatos com os EUA para sua repatriação.Segundo as mesmas fontes, haviam sido recebidos 45 cidadãos detidos em Guantánamo após os atentados de 11 de setembro de 2001.Quinze dos 19 autores desses atentados eram sauditas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.