Rice acusa o Irã e a Síria de incitarem a violência

A secretária de Estado americana Condoleezza Rice acusou o Irã e a Síria de incitarem a violência dos muçulmanos, aproveitando a polêmica gerada pela publicação na Europa de uma série de caricaturas de Maomé. "O Irã e a Síria saíram de seu caminho exacerbando os sentimentos e utilizando isto para seu próprio interesse", disse Rice em entrevista coletiva nesta quarta-feira, após se reunir com a ministra das Relações Exteriores israelense, Tzipi Livni.Segundo a chefe da diplomacia americana, "nada justifica a violência" que provocou a morte de mais de dez pessoas e deixou vários feridos. "Nada justifica o incêndio de instalações diplomáticas ou ameaças a embaixadas de todo o mundo", acrescentou Rice, em alusão à crescente onda de violência em resposta à publicação das charges do profeta em vários meios de comunicação europeus.Condoleezza ressaltou que, neste momento, todos deveriam pedir calma e retomar uma atmosfera de respeito e entendimento. "Houve muitos Governos que pediram calma, mas também outros que utilizaram esta oportunidade para incitar a violência", acrescentou a secretária de Estado americana, antes de apontar diretamente Irã e Síria.Qualquer pessoa responsável, disse Rice, deveria dizer claramente que não há desculpa para a violência, e que é preciso respeitar areligião dos outros e a liberdade de imprensa.As declarações da secretária aconteceram pouco depois de o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, fazer uma chamada a todo o mundo para pôr fim à violenta reação que provocaram as caricaturas de Maomé:"Apelo aos Governos do mundo para que coloquem fim à violência, sejam respeitosos, protejam as propriedades, protejam as vidas dos diplomatas inocentes que estão servindo a seus países no exterior", disse Bush após receber na Casa Branca o rei Abdullah II da Jordânia, que também pediu calma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.