Rice defende papa: pontífice tem "amor à humanidade"

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, saiu em defesa do papa Bento XVI nesta terça-feira, e ressaltou que o pontífice é um homem conhecido por seu "amor à humanidade" e por seu desejo de conseguir um "mundo tolerante"."Todos precisamos de um melhor entendimento. Todos precisamos compreender que, às vezes, se pode ofender alguém sem se dar conta disso", afirmou Rice, referindo-se à polêmica gerada por recentes declarações feitas pelo papa que feriram a sensibilidade dos muçulmanos.Em entrevista à rede de televisão americana ABC, a secretária de Estado lembrou que o pontífice "lamentou " o ocorrido. Ela participava da Assembléia Geral das Nações Unidas, em Nova York.Rice insistiu: entre as qualidades do Papa, destaca-se seu profundo amor pela humanidade e seu desejo de que todo o mundo possa conviver de forma tolerante.Além disso, a secretária expressou sua esperança de que todas as religiões estejam dispostas a refletir e a levar em conta o que une a humanidade.BushO presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, expressou-se em termos similares na segunda-feira, ao afirmar que acredita que o pontífice foi "sincero" quando pediu desculpas pela polêmica gerada por suas declarações.O papa disse no domingo, durante a reza do Ângelus, que estava "aflito" pelas reações geradas pelo discurso que pronunciou na terça-feira passada na Universidade de Regensburg (Alemanha) que, segundo ele, não expressa "de modo algum" seu pensamento.No discurso, Bento XVI usou um trecho de um diálogo entre o imperador bizantino Manuel II (1391), no qual dizia que em Maomé só se viam "coisas más e desumanas, como sua ordem de divulgar com a espada a fé que ele pregava".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.