Rice diz que atentado no Parlamento iraquiano era previsível

Ataques como a explosão suicida desta quinta-feira, 12, que matou oito pessoas no Parlamento iraquiano, já eram esperados em meio à atual operação de segurança mantida pelos Estados Unidos em Bagdá, segundo a secretária americana de Estado, Condoleezza Rice. Rice e o presidente George W. Bush condenaram o ataque ocorrido dentro da Zona Verde, a vigiada área no centro de Bagdá onde ficam o Parlamento, edifícios do governo e a embaixada dos EUA. "Dissemos que haveria dias bons e dias ruins a respeito do plano de segurança, mas os comandantes estão cumprindo suas responsabilidades e trabalhando para tentar deixar a população mais segura. Estamos realmente só no começo disso, e não no final", afirmou ela. Milhares de soldados americanos e iraquianos participam da operação em Bagdá desde meados de fevereiro, a fim de tentar impedir que os atritos entre sunitas e xiitas descambem para uma guerra civil. O atentado de quinta-feira, que devastou uma lanchonete onde deputados almoçavam e também feriu 20 pessoas, foi a mais grave violação de segurança já ocorrida na Zona Verde. O líder democrata no Senado dos EUA, Harry Reid, disse que o ataque é mais um sinal de que a guerra vai mal e de que as tropas norte-americanas deveriam ser retiradas. "Não vamos recuar do que achamos ser certo para o país", disse ele. Reid disse que ele e a presidente da Câmara, a também democrata Nancy Pelosi, dirão a Bush numa reunião marcada para a semana que vem "o que ele precisa ouvir, e não o que ele quer ouvir". O presidente se recusa a discutir prazos para a retirada das tropas, algo incluído pelos democratas em dois projetos de lei - um da Câmara e outro do Senado - que liberam 100 bilhões de dólares para a guerra do Iraque. Bush ameaça vetar qualquer lei que contenha cronogramas. "A mensagem ao governo iraquiano é que permanecemos com vocês conforme vocês dão os passos necessários para não só se reconciliar politicamente, mas também para estabelecer uma força de segurança capaz de lidar com esse tipo de gente [homens-bomba]", disse Bush. Rice fez suas declarações após uma reunião com o senador John McCain, pré-candidato republicano à presidência, que esteve neste mês em Bagdá e elogiou a operação de segurança na cidade - no que foi considerado otimista demais pelos democratas. McCain também previu ataques "espetaculares" na Zona Verde, com o objetivo, segundo ele, de fazer manchetes nos EUA, onde a opinião pública está cada vez mais impaciente com a guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.