Rice diz que Irã deveria ver a Coréia do Norte como exemplo

A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, disse nesta terça-feira que o acordo com a Coréia do Norte sobre seu programa nuclear deve servir como mensagem para o Irã de que a diplomacia internacional pode alcançar resultados. Em entrevista coletiva, Rice questionou: "Porque não podemos ver (o acordo) como uma mensagem para o Irã de que a comunidade internacional é capaz de juntar suas forças (...) em uma forte diplomacia que finalmente tem encontrado resultados?".O presidente americano, George W. Bush, disse-se satisfeito com o acordo traçado, mas já avisou que se as medidas combinadas não forem cumpridas, ainda há possibilidade de sanções por parte da comunidade internacional. Segundo pacto preliminar, assinado pelas duas Coréias, EUA, Rússia, Japão e China, a Coréia do Norte deve fechar o reator de Yongbyon e inspetores internacionais visitarão o local nos próximos 60 dias. Em troca, o país deve receber 50 mil toneladas de óleo combustível ou uma ajuda econômica de igual valor.O Irã, por sua vez, mostrou-se com uma ?nova disposição? em negociar o fim de sua disputa nuclear com o Ocidente nos últimos dias. O país afirma que e as portas estão abertas para conversações. Mas líderes da União Européia aprovaram planos para a aplicação das sanções da ONU contra o Irã, dez dias antes do vencimento do ultimato dado à República Islâmica.No dia 23 de dezembro, o Conselho de Segurança da ONU concordou em impor sanções contra pessoas e empresas relacionadas ao programa nuclear iraniano, após o Irã rejeitar suspender seu programa de enriquecimento de urânio. No mesmo dia, o Irã recebeu o prazo de dois meses para voltar às conversações.Ali Larijani, principal negociador nuclear iraniano, disse durante a Conferência para Segurança em Munique no domingo que o Irã estaria pronto para dar esse passo, mas não suspenderia seu programa nuclear. O porta-voz da chancelaria do Irã, Ali Hoseini, disse na segunda-feira que seu país poderia discutir ?tudo?, até mesmo a suspensão das atividades de enriquecimento de urânio.Limite de 4%Em um sinal de que busca mostrar abertura para o diálogo, mas que ao mesmo tempo não desistirá de seu programa de enriquecimento de urânio, o Irã assegurou nesta terça-feira que seu país defenderá o enriquecimento de urânio até 4% para produzir 20 mil megawatts de eletricidade."A pureza do urânio enriquecido para produzir energia está tecnicamente determinada e se situa normalmente em entre 3,5 e 5%", disse o ministro de Assuntos Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki.O nível de enriquecimento deve ser fixado em função da produção de 20 mil megawatts de Eletricidade.Segundo a agência estatal de notícias iraniana Irna, Mottaki fez tal declaração em referência à proposta do principal negociador nuclear do país, Ali Larijani, que assegurou que Teerã está disposto a enriquecer urânio a 4%.O enriquecimento de urânio para fins bélicos tem que ser de no mínimo 20%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.