Rice diz que Iraque não terá Dia da Vitória

Mesmo presumindo que o Iraque forme um governo nacional, não haverá uma repentina interrupção da violência, como o Dia Vitória, que marcou o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, afirmou a secretária de Estado Condoleezza Rice nesta quarta-feira. Durante um discurso no Conselho de Relações Externas de Chicago, Rice disse que a paz virá gradualmente para o Iraque, invadido pelos Estados Unidos há três anos. "Os americanos devem estar preparados para a continuidade da violência no Iraque, mesmo depois da formação do governo. Não haverá um Dia V ou um Dia J", disse a secretária, referindo-se aos Dias da Vitória da Europa e da Vitória do Japão em 1945. "Ao invés disso, a paz será assegurada à medida que mais e mais iraquianos reconheçam que o processo democrático nacional é aberto a eles e que a política e não a violência é a melhor maneira de alcançar seus interesses. É assim que a democracia irá vencer o terrorismo, gradualmente", acrescentou. Os esforços feitos por líderes iraquianos para formar um governo de unidade nacional estão parados. A escolha do primeiro-ministro criou um impasse no processo de formação do novo governo. Sob pressão americana, os líderes do Iraque afirmaram que irão reunir o Parlamento na quinta-feira na esperança de começar a formação do novo governo. Contudo, oficiais xiitas indicaram que podem não comparecer à sessão. Programa iraniano Rice disse que ela e Bush entendem as preocupações dos americanos sobre o atraso na formação do governo e adicionou que os cidadãos iraquianos estão começando a dar voz a suas frustrações também. Sobre outro ponto problemático, a secretária americana se disse otimista de que a democracia irá ser bem sucedida em relação ao programa nuclear iraniano. Ela comparou o Irã com a Coréia do Norte, cujas negociações sobre o fim de seu programa nuclear também estão paradas e pediu que o governo coreano desista de suas ambições nucleares. Colaboração com a Índia O plano promovido por Rice para dividir tecnologia nuclear com a Índia também foi citado. Ela afirmou que é sempre perguntada sobre o duplo padrão sobre a política nuclear americana sobre a Coréia do Norte e o Irã. "Absolutamente há um duplo padrão e o Irã e a Coréia do Norte o criaram, ao trapacear sobre suas obrigações com o Tratado de Não-proliferação Nuclear (TNP), ao não serem transparentes, sociedades fechadas onde todos se preocupam dobre que estão fazendo". "Você tem uma democracia na Índia que está tentando se aproximar de um regime de não-proliferação, e devemos apoiar isso". Conclui Rice.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.