Rice e Olmert pedem a Abbas explicação de governo com Hamas

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, e o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, pedirão explicações ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, sobre a formação de um governo de uniãonacional com o Hamas, na reunião que os três terão segunda-feira, 19, emJerusalém."Israel exige que o governo palestino adote as condições do Quarteto de Madri", disseram fontes do governo israelense, que asseguraram que Rice e Olmert pedirão esclarecimentos ao líder palestino.Rice, Olmert e Abbas se encontrarão na próxima segunda em Jerusalémpara tentar impulsionar o processo de paz no Oriente Médio. Segundoas fontes, a reunião começará com um pedido de esclarecimento."Segundo o acordo de união nacional assinado em Meca, o Hamas nãocedeu em nada. (O movimento islâmico) pediu legitimidade a Abbas e aconseguiu sem dar nada em troca", lamentaram as fontes israelenses.Unidade nacionalApós uma breve visita surpresa ao Iraque, Rice chegará esta tardeà região para preparar a cúpula de segunda-feira. À noite, após oencerramento do dia de descanso do "shabat", ela se reunirá emJerusalém com sua colega israelense, Tzipi Livni.Segundo as fontes, Livni será a primeira a expor à secretária deEstado americana a postura de Israel sobre a formação do Governo deunidade na ANP, processo que começou quinta-feira com a renúnciaprotocolar do primeiro-ministro Ismail Haniyeh.O líder islâmico recebeu uma carta de Abbas com um mandato paraformar o novo Executivo, que será liderado pelo Hamas e pelo Fatah eincluirá outros partidos e políticos independentes.Segundo as fontes, Livni vai dizer a Rice que Israel nãoreconhecerá o novo governo palestino enquanto este não reconhecerclara e explicitamente o Estado judeu, aceitar os acordos de pazassinados até agora e pôr um fim no terrorismo.Estas são as três condições impostas pelo Quarteto de Madri aoGoverno da ANP em abril do ano passado, depois que o Hamas chegou aopoder nas eleições de janeiro de 2006.Processo de pazEmbora Abbas tenha afirmado, na carta de nomeação de Haniyeh, queo primeiro-ministro deverá respeitar os acordos assinados pelaOrganização para a Libertação da Palestina (OLP) - incluindo o dereconhecimento mútuo de 1993 entre Israel e a OLP -, Olmert acha queo presidente da ANP "não resolveu nada com o acordo de Meca".A cúpula de segunda-feira faz parte da promessa feita por Rice emsua visita anterior, em 15 de janeiro, de impulsionar o processo depaz do Oriente Médio até que chegue à visão de "dois Estados" dopresidente George W. Bush.Seu objetivo é tentar encaminhar as partes a um processonegociador que acabe na criação de um Estado palestino. No entanto,a secretária de Estado admitiu que a formação do Governo de unidadena ANP "dificulta os esforços".Para tentar esclarecer a situação antes da cúpula, no domingo,Rice se reunirá, separadamente, com Olmert e Abbas.Na noite de sexta feira, o presidente Bush telefonou para oslíderes de Israel, da ANP e da Arábia Saudita - mediador do acordode unidade entre Fatah e Hamas - para expressar-lhes sua posição eobjetivos.Olmert expôs ao presidente americano suas objeções ao acordo deMeca, segundo a emissora "A voz de Israel", e disse que esperaexplicações de Abbas sobre o significado e as conseqüências daformação do novo Governo na ANP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.