Rice insiste com China para que aplique ´sanções completas´

A secretária de Estado americana,Condoleezza Rice, pediu nesta sexta-feira à China uma aplicação completa das sanções adotadas pela ONU contra a Coréia do Norte. A solicitação foi feita durante reunião com o ministro de Relações Exteriores chinês, Li Zhaoxing. "Falamos da importância da aplicação completa da resolução 1718, de modo que possamos garantir que não há comércio de materiais ilegais perigosos relacionados com o programa nuclear da Coréia doNorte", disse Rice em entrevista coletiva conjunta com Li, após o encontro. Rice voltou a dizer que o recente teste nuclear norte-coreano foi uma "grave provocação" que pôs em perigo a estabilidade e a segurança, especialmente no nordeste asiático. Além disso, ressaltou que Pyongyang deve voltar às conversações multilaterais e abandonar oseu programa atômico. O ministro chinês pediu que todas as partes envolvidas mantenham a "cabeça fria" e, assim, reafirmou a mensagem de contenção da China. "Esperamos que todas as partes mantenham a cabeça fria, adotem uma atitude prudente e responsável, e se prendam ao diálogo. A China gostaria trabalhar mais estreitamente com as partes relevantes para romper a estagnação e retomar as conversas", disse o ministro. Shi Yihong, especialista em política externa chinesa da Universidade Popular de Pequim, disse que "os EUA querem que a China tenha uma posição mais forte na execução das sanções da ONU e, além disso, que adote outras sanções unilaterais, comoreduzir a ajuda energética". O Ministério de Relações Exteriores chinês não confirmou a informação de um jornal sul-coreano, segundo a qual Kim Jong-il teria se comprometido a voltar ao diálogo multilateral se os EUAretirarem suas sanções financeiras. Segundo a imprensa sul-coreana, o líder comunista teria assumido o compromisso durante seu encontro, em Pyongyang, com o enviado especial chinês Tang Jiaxuan. O conteúdo da reunião ainda não foi oficialmente revelado. Mas seu teor deverá ser analisado na reunião entre Rice e Tang. Depois disso, a secretária de Estado se reunirá com o presidente Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao. Sábado, ela partirá para Moscou, onde finalizará sua viagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.