Rice pede a palestinos que reformem forças de segurança

Na busca de um novo impulso à política dos Estados Unidos para o Oriente Médio, a conselheira de segurança nacional da Casa Branca, Condoleezza Rice, pediu, nesta segunda-feira, ao primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Ahmed Qureia, que siga adiante com a formação de forças de segurança capazes de prevenir atentados contra Israel. A reunião entre Rice e Qureia em Berlim tinha como objetivo demonstrar que o governo americano apoia a criação de um Estado palestino, mas continua pressionando por reformas mesmo em meio a uma nova ofensiva militar israelense que obrigou palestinos a abandonarem suas casas no campo de refugiados de Rafah, na Faixa de Gaza. Delegados palestinos exigiram uma ação americana para impedir que Israel continue demolindo casas de palestinos e obtiveram uma promessa de que Washington "agirá agora para interromper o que vem acontecendo em Rafah", declou Nabil Shaath, chanceler da ANP. Em conversa com jornalistas, Rice não chegou a confirmar que os EUA intercederiam junto a Israel para interromper as demolições, limitando-se a dizer que a Casa Branca já manifestou em diversas ocasiões a opinião de que a demolição de casas de palestinos pelo Estado judeu "não conduz" à paz. Depois de reunir-se em Moscou com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, Rice também conversou sobre a situação no Iraque durante uma convenção com conselheiros de segurança nacional de dez países europeus em Berlim. Ela manifestou a esperança de que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas aprovará em breve uma resolução para coincidir com a transmissão de poder no Iraque a um governo interino, prevista para 30 de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.