Rice quer acordo a longo prazo; Olmert diz que Israel continuará lutando

Ao ser recebida nesta terça-feira em Jerusalém pelo primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, para discutir a crise no Líbano, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, afirmou que a violência no Oriente Médio precisa acabar, mas numa situação em que Israel não volte a sofrer ataques com foguetes da milícia Hezbollah. "É preciso acabar com a violência mas não podemos voltar a uma situação em que se disparam foguetes contra Israel", afirmou a chefe da diplomacia americana. Ela acrescentou que a solução deve ser um acordo a longo prazo."Não tenho a intenção de voltar daqui a três semanas, três meses ou seis meses", disse. Já o chefe do governo israelense Ehud Olmert disse que "Israel vai continuar lutando contra o Hezbollah e não hesitará em empregar os meios necessários, por mais duros que sejam, contra todo aquele querepresentar uma ameaça". Segundo Olmert, "15% da população de Israel estão nos abrigos há 14 dias e sofrem uma ofensiva brutal por parte do Hezbollah". A secretária de Estado americana chegou segunda-feira à região para discutir a possibilidade de um cessar-fogo entre Israel e a guerrilha islâmica, assim como o fim dos ataques à Faixa de Gaza e àCisjordânia, frentes em que o Exército israelense está combatendo há mais de um mês e meio. Rice, que antes tinha feito uma visita surpresa ao Líbano, se reuniu na noite de segunda-feira em Jerusalém com sua colega israelense, TzipiLivni. Nesta ter-a-feira, se reúne em Ramallah com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.