Rice tenta reativar plano de Paz para Oriente Médio

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, está a caminho do Oriente Médio neste sábado, 24, para sua primeira visita à região desde a criação do governo de unidade nacional palestino. Rice vai se encontrar com líderes árabes no Egito para tentar reativar o plano de paz com Israel. O governo americano espera que uma reconciliação entre árabes em geral e israelenses possa ajudar a resolver o conflito. "Minha principal meta é estabelecer um mecanismo, um enfoque comum que possa ser usado paralelamente, para que possamos tratar dos mesmos temas (com as partes israelense e palestina). Isso é o fundamental agora", disse Rice.O correspondente da BBC Jonathan Beale, que está viajando com Condoleezza Rice, disse que há um novo senso de urgência em lidar com o confronto israelense-palestino, em parte porque nações árabes dizem que a resolução do problema é essencial para a estabilidade do Iraque e do resto da região.A missão de Rice acontece quando o embaixador americano em Bagdá, que está deixando o cargo, alertou que a instabilidade no Iraque pode ser perigosa para a situação de toda a região. Zalmay Khalizad disse que uma divisão sectária está se desenvolvendo no Oriente Médio por causa da violência entre sunitas e xiitas no Iraque."É do interesse de todos (?) se juntar para conter e reverter a tendência de polarização em linhas sectárias. Isso poderia desestabilizar toda a região?, disse Khalizad à BBC.Plano sauditaRice vai se encontrar na cidade de Aswan com líderes do Egito, Jordânia, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos - o chamado quarteto árabe de aliados moderados dos Estados Unidos.Em seguida, ela se reúne com o presidente palestino Mahmoud Abbas, na cidade de Ramallah, na Cisjordânia e com o primeiro-ministro israelense Ehud Olmert em Jerusalém. A secretária se encontrará também com o rei Abdullah II, na Jordânia.Os Estados Unidos querem que os países árabes, que vão se reunir em uma cúpula na Arábia Saudita no dia 28 de março, retomem uma iniciativa saudita para resolver o confronto, criada em 2002.O plano oferece a Israel a normalização das relações com os países árabes se o governo israelense se retirar das terras árabes ocupadas em 1967. Israel rejeitou o plano imediatamente em 2002, quando foi proposto em uma cúpula árabe em Beirute. Mas agora Olmert estaria considerando o plano com cautela.FocoA viagem de Rice é a sétima da secretária à região em oito meses, mas até agora ela obteve poucos resultados, de acordo com correspondentes. Os Estados Unidos não reconheceram o governo de união nacional palestino e se recusa a lidar com os ministros que são membros do grupo islâmico Hamas, que chama de terrorista.O governo palestino foi formado depois que o Hamas - que vinha dominando o gabinete desde a vitória nas eleições de janeiro de 2006 - concordou em dividir o poder com a facção Fatah, do presidente Abbas.O acordo aconteceu após vários meses de violentos confrontos entre os dois grupos, que deixaram mais de 140 mortos. A visita de Rice será focada no que ela chama de horizonte político de criação de um Estado palestino pacífico.(Com Efe)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.