Rice teria mentido ao Congresso sobre proposta do Irã de 2003

A secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, mentiu ao Congresso dos EUA ao dizer na semana passada que não havia tomado conhecimento de uma proposta iraniana de 2003 para negociações com os Estados Unidos, disse na quarta-feira um ex-alto funcionário do governo. Flynt Leverett, que trabalhou no Conselho de Segurança Nacional quando este era chefiado por Rice, comparou a proposta de 2003 à abertura diplomática de 1972 dos EUA à China. Ele disse ter convicção de que a proposta foi vista por Rice e pelo então secretário de Estado, Colin Powell, mas que "o governo rejeitou a abertura". Falando em conferência no Congresso, Leverett afirmou que "tratava-se de uma proposta séria, de um esforço sério" por parte do Irã em busca de uma reaproximação com Washington. "O governo Bush, indo até a secretária Rice, está enganando o Congresso e o público norte-americano a respeito da proposta iraniana", afirmou. O ex-assessor já havia divulgado a suposta proposta iraniana anteriormente. Depondo na semana passada à Comissão de Assuntos Estrangeiros da Câmara, Rice afirmou: "Não sei do que Flynt Leverett está falando", e culpou-o por não tê-la informado. O porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack, disse que Rice quis dizer no Congresso que "não se recordava de ter visto" a proposta iraniana. Segundo McCormack, a acusação de que ela mentiu aos deputados é "simples e absolutamente cem por cento falsa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.