Rice vê chance de encontro com ministro iraniano no Egito

A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, disse neste domingo, 29, que poderá se reunir com o ministro das Relações Exteriores do Irã em uma conferência sobre o Iraque. O evento deve acontecer em 3 e 4 de maio, no Egito.O assunto a ser tratado, no entanto, não é o relacionamento entre os Estados Unidos e o Irã. De acordo com a secretária de Estado norte-americana, a reunião será somente sobre a estabilização do Iraque. "Não é (uma conferência) sobre os EUA e o Irã", disse ela ao canal ABC. "É um encontro sobre o que os vizinhos do Iraque e outras partes interessadas podem fazer para ajudar a estabilizar a situação no Iraque", acrescentou a secretária. Autoridades dos EUA acusam o Irã de treinar e de oferecer armas para milícias xiitas no Iraque. "O que precisamos fazer? É bem óbvio. Parar o fluxo de armas para combatentes estrangeiros. Parar o fluxo de combatentes estrangeiros através das fronteiras", disse Rice.Irã confirma encontroO ministro das Relações Exteriores iraquiano disse neste domingo que há uma "grande possibilidade" de que Irã e Estados Unidos realizem negociações bilaterais durante uma conferência nesta semana no Egito, que debaterá maneiras de estabilizar o Iraque. Hoshiyar Zebari afirmou que as negociações entre as nações podem não ser em nível ministerial, mas que serão um passo importante. "Acho que é importante, será um grande avanço e qualquer redução nas tensões terá impacto positivo na situação no Iraque", disse Zebari em entrevista à Reuters, sem revelar quais temas acha que poderão debater. "Não queremos que o Iraque seja um campo de batalhas para a resolução de outras agendas, ao nosso custo. Realmente, isso vem nos atingindo, prejudicando muito." Autoridades dos EUA acusam o Irã de fornecer armas e treinamento a milícias xiitas no Iraque, o que Teerã nega. Irã e EUA também estão em disputa devido ao programa nuclear de Teerã. A Conferência no Egito é a continuidade de um encontro de autoridades em Bagdá, no mês de março. O encontro deu uma rara oportunidade para os EUA e seus adversários Síria e Irã sentarem-se à mesma mesa. Washington acusa a Síria de não fazer o suficiente para conter o fluxo de combatentes estrangeiros para o Iraque. Damasco também participará do encontro no Egito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.