Bryan R. Smith/ AFP
Bryan R. Smith/ AFP

Riqueza dos bilionários americanos aumenta durante a pandemia

A riqueza coletiva dos 651 maiores bilionários dos Estados Unidos disparou de 2,95 trilhões em 18 de março para 4,01 trilhões na segunda-feira

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2020 | 04h44

NOVA YORK - Os bilionários dos Estados Unidos viram sua riqueza conjunta aumentar em mais de US$ 1 trilhão desde o início da pandemia do coronavírus, de acordo com um estudo divulgado nesta quarta-feira, 9. Isso alimentou um debate sobre aumentar impostos para os ricos.

A riqueza coletiva dos 651 maiores bilionários dos Estados Unidos disparou de 2,95 trilhões em 18 de março para 4,01 trilhões na segunda-feira, disse o Instituto de Estudos Políticos e Americanos para Equidade Fiscal (ATF).

“Nunca antes os Estados Unidos viram tanto acúmulo de riqueza em tão poucas mãos”, disse Frank Clemente, diretor executivo do instituto, observando que o ganho supera um pacote de ajuda que está sendo considerado pelo Congresso.

"Seus ganhos pandêmicos são tão grandes que os bilionários da América poderiam pagar uma importante conta de ajuda para amenizar as consequências da covid e, ainda assim, não perderiam um centavo de sua riqueza pré-vírus", acrescentou.

Na terça-feira, a Casa Branca divulgou uma proposta de estímulo de US $ 916 bilhões em uma corrida para encerrar um impasse de meses em uma nova ajuda para a economia americana afetada pelo coronavírus antes que o presidente Donald Trump deixe o cargo. em janeiro.

A nova proposta é um pouco maior do que uma promessa de US$ 908 bilhões apresentada por um grupo bipartidário de senadores na semana passada.

O estudo contribui para o já acalorado debate nos Estados Unidos sobre tributar mais os ricos para reduzir as crescentes desigualdades de riqueza.

Por exemplo, Alexandria Ocasio-Cortez, uma estrela em ascensão na ala esquerda do Partido Democrata, está pressionando por impostos mais altos em Nova York, que como muitos estados enfrenta uma crise orçamentária causada pela pandemia.

Um estudo publicado pelo banco UBS e pela empresa de contabilidade PwC em outubro revelou que a riqueza acumulada dos bilionários do mundo em dólares atingiu um novo recorde de 10,2 trilhões, acima do pico anterior de 8,9 trilhões registrado em 2017.

A pandemia provocou um crash do mercado de ações em março, que viu alguns dos clubes dos bilionários despencar. No entanto, uma forte alta nas ações de tecnologia e saúde impulsionaram os mais ricos nesses setores./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.