Reprodução
Reprodução

Risco de ataque do EI põe Europa em alerta

Em Roma, homem com arma de brinquedo causa pânico e estação Termini é fechada durante mais de uma hora

Andrei Netto, CORRESPONDENTE / PARIS, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2016 | 19h58

A Europol, a polícia intergovernamental, lançou nesta segunda-feira, 26, um alerta sobre o risco de que o grupo Estado Islâmico ataque novamente na Europa. A advertência foi feita pelo diretor da instituição, Rob Wainwright, com base em informações de inteligência que indicam que “países da União Europeia, em especial a França”, são alvos potenciais de uma nova onda de ataques.

O informe veio a público no dia em um homem carregando um fuzil de brinquedo causou pânico e o fechamento por mais de uma hora da estação de trens e metrô Termini, a mais importante de Roma, na Itália.

O incidente detonou o alerta antiterrorismo na capital italiana e mobilizou centenas de policiais e agentes de segurança em torno da estação. Passageiros foram bloqueados no interior de trens e o fluxo de chegadas e partidas foi paralisado durante a caça ao suspeito.

O homem, de cerca de 40 anos, foi flagrado por imagens do circuito fechado de câmeras de segurança carregando o fuzil falso de forma ostensiva, antes de ser preso. Só no meio da noite, a operação da estação voltou ao normal.

Se a ameaça de Roma foi falsa, o risco de atentados na Europa é concreto. De acordo com Wainwright, informações de inteligência indicam que novos “amplos ataques”, como os realizados em Paris no ano passado, podem ocorrer a qualquer momento.

O chefe da Europol não deu detalhes sobre quais outras cidades são as mais visadas, além de Paris, mas reconheceu que o EI desenvolveu “uma nova capacidade de combate”. “O EI prepara novos ataques nos países-membros da União Europeia, e em especial a França”, diz o relatório da entidade.

A Europol inaugurou hoje o Centro Europeu de Contra-terrorismo, em Amsterdã, um dia após a divulgação de um novo vídeo do EI no qual os terroristas que cometeram os atentados de 13 de novembro ameaçam França e Grã-Bretanha. As imagens foram gravadas durante a preparação dos atos.

Ao final, o vídeo apresenta imagens de Londres e do premiê britânico, David Cameron.

Ainda hoje, o ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, anunciou o início do isolamento de presos condenados por crimes relacionados ao terrorismo em duas penitenciárias do país. Outras cinco instituições terão cem vagas para prisioneiros “radicais”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.