Ritual xiita lembra morte de imã

Os atentados suicidas de ontem ocorreram durante uma peregrinação de xiitas no norte de Bagdá. A cerimônia lembra a morte do sétimo imã, Moussa al-Kadhim, no ano de 799, e é uma das mais importantes do calendário dos muçulmanos xiitas.Todos os anos, peregrinos xiitas se reúnem na mesquita que homenageia o imã, em Kadhimiyah, um bairro no norte de Bagdá. Eles acreditam que o templo foi erguido no local onde o corpo de Kadhim está enterrado. Xiitas de vários bairros de Bagdá e também de outras cidades caminham até a mesquita. Muitos se flagelam, batendo correntes de ferro nas costas ou cortando a testa com lâminas. Esse ritual sangrento foi banido durante o regime de Saddam Hussein, que era sunita. Desde 2003, com a queda do ditador, partidos políticos xiitas vêm encorajando os fiéis a participarem das festividades religiosas, como uma demonstração de poder do grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.