Rivais afirmam que negociações continuam no Zimbábue

Comunidade africana pede que governo e oposição resolvam diferenças políticas para focar crise econômica

Associated Press e Agência Estado,

18 de agosto de 2008 | 11h28

Membros do governo e da oposição do Zimbábue afirmaram nesta segunda-feira, 18, seu compromisso com negociações para encerrar a crise política nacional. As declarações ocorrem em meio a pedidos de líderes de países da região por um acordo de divisão de poder. O ministro da Informação, Sikhanyiso Ndlovu, disse que o presidente Robert Mugabe está comprometido a "tentar negociar um acordo".Líderes da Comunidade para o Desenvolvimento do Sul da África encerraram no domingo um encontro durante o qual pediram aos negociadores zimbabuanos que resolvam suas diferenças políticas rápido, para poderem se concentrar na crise econômica dessa nação.Os líderes sul-africanos sustentaram que as negociações já haviam estabelecido a base para um acordo de divisão de poder. O negociador-chefe da oposição, Tendai Biti, disse após o encontro que "o diálogo continuará".   O líder opositor Morgan Tsvangirai derrotou nas eleições realizadas nesse dia o presidente zimbabuano, Robert Mugabe, mas não obteve uma maioria direta de mais de 50% dos votos, o que levou a um segundo turno, do qual Tsvangirai se retirou devido aos ataques a seus seguidores por parte de milícias leais a Mugabe.

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.