Rivais apresentam propostas de governo semelhantes

Ambos são contra diálogo com as Farc e defendem acordo militar e parceria comercial com os EUA

, O Estado de S.Paulo

30 Maio 2010 | 00h00

As diferenças das propostas de governo dos dois principais candidatos à presidência da Colômbia são relativamente pequenas. Tanto o ex-ministro da Defesa Juan Manuel Santos quanto o candidato do Partido Verde (PV), Antanas Mockus, são contra a negociação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), apoiam a cooperação com os EUA para o combate às drogas e um Tratado de Livre Comércio com os americanos.

Na economia, ambos defendem a abertura e a responsabilidade fiscal, embora Mockus ache necessário o aumento de impostos para obter mais recursos. Santos acredita que isso poderia afastar investimentos e causar recessão.

Na política externa, as diferenças são mais marcantes. O governista ordenou o ataque às Farc no Equador, em 2008, que quase levou a uma guerra com Quito e Caracas. Recentemente, ele se disse "orgulhoso" da ação. "Mockus condenou o ataque e teria mais condições de melhorar as relações com os vizinhos", diz o cientista político Carlos Medina, da Universidade Nacional da Colômbia.

A grande diferença, porém, está mesmo no modo de encarar a política. Mockus representa a classe média de Bogotá. Tem um estilo excêntrico. Santos é um representante das velhas oligarquias e tem a "máquina política" a seu dispor. "Contra Santos, pesa a percepção de que ele compartilha da ideia de que os fins justificam os meios, a raiz dos escândalos do governo", diz María Jimena Duzán, colunista do jornal El Tiempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.