Rivais China e Taiwan iniciam serviço direto postal e aéreo

As rivais China e Taiwan vão iniciar serviços diretos postais e de transporte aéreo e marítimo pela primeira vez desde o fim da guerra civil chinesa em 1949. A China reivindica a soberania sobre Taiwan desde 1949 e quer trazer a ilha sob seu controle, à força se necessário. Mas as relações entre as duas regiões melhoraram desde que o presidente Ma Ying-jeou, de boas relações com a China, assumiu o governo de Taiwan no início deste ano. Negociações em junho e em novembro resultaram em acordos sobre transporte e serviços postais, cujo objetivo é reduzir custos de cerca de 750 mil investidores de Taiwan na China e impulsionar a ilha a acompanhar o rápido crescimento da economia chinesa. Xu Shiquan, vice-presidente executivo da National Society of Taiwan Studies, disse que a realização de "ligações diretas" marca um avanço nas relações entre as regiões. "Isso vai impulsionar enormemente as estreitas relações comerciais e as mudanças civis", divulgou a agência de notícias Xinhua como citação de Shiquan. O transporte direto, os serviços postais e o comércio foram interrompidos após a fundação da República Popular da China em 1949. Sobre o acordo de transporte aéreo direto, as duas partes vão lançar um serviço de vôo fretado de cargas entre dois aeroportos da China, Pudong em Xangai e Guangzhou, e dois em Taiwan, Taoyuan e Kaohsiung. Haverá 60 vôos de cargas de ida e volta por mês, divididos uniformemente entre companhias aéreas da China e de Taiwan. Além disso, as duas regiões vão inaugurar vôos fretados regulares de passageiros, que costumavam ser realizados somente aos finais de semana e durante os quatro maiores eventos tradicionais da região. (Reportagem de Nick Macfie)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.