Rivais cobram dados fiscais de Romney

Adversários sugerem que favorito em prévia do Partido Republicano nos EUA poderia estar sonegando impostos

DENISE CHRISPIM MARIN , CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2012 | 03h03

Os quatro rivais do ex-governador de Massachusetts Mitt Romney na primária presidencial republicana cobraram do favorito na disputa a divulgação de seus dados fiscais no debate da noite de segunda-feira em Myrtle Beach, na Carolina do Sul. Pressionado, Romney concordou em divulgar sua declaração de Imposto de Renda em abril, quando a disputa primária republicana já deve estar decidida a seu favor.

Após duas vitórias, em Iowa e New Hampshire, o pré-candidato tem 32,3% das intenções de votos na primária da Carolina do Sul, que ocorre no sábado. Para 72% dos republicanos, o moderado deve ser o vencedor da disputa partidária e enfrentar o presidente Barack Obama, em novembro. Essas credenciais acentuaram os ataques de seus rivais no último debate, promovido pela Fox News e pelo Wall Street Journal.

"Mitt, você precisa divulgar sua declaração de imposto (de renda) para que o povo deste país possa ver como você fez dinheiro", atacou Rick Perry, governador do Texas. "Como republicanos, nós não podemos demitir nosso escolhido em setembro. Precisamos saber agora", insistiu.

Imposto. Romney tem um patrimônio estimado entre US$ 190 milhões e US$ 250 milhões. A divulgação voluntária de sua declaração de Imposto de Renda deverá causar tanta polêmica quanto sua afirmação, ontem, de ter pago uma alíquota de 15%.

Assim como todos os demais candidatos republicanos e o presidente Barack Obama, os contribuintes com renda superior a US$ 250 mil no país são beneficiados com a redução do imposto desde 2006. A maior alíquota, não aplicada desde então, seria de 35%.

A experiência empresarial, exposta ao eleitorado como o diferencial de Romney para lidar com a crise econômica, tornou-se outro foco de ataques dos seus concorrentes no debate.

Desde a semana passada, partidários da pré-candidatura de Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Deputados, têm divulgado um documentário com testemunhos de "vítimas" do desemprego provocado pelos negócios da Bay Capital, uma das empresas comandadas por Romney nos anos 80 e 90.

"Esse foi, provavelmente, o maior trote desde a (lenda) do Pé Grande", afirmou Romney. Gingrich está em segundo lugar nas pesquisas com 22% das intenções de voto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.