Robert Gates aprova prisão de criador do WikiLeaks

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, elogiou hoje o fato de o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, estar preso na Grã-Bretanha. "Eu não havia ouvido isso, mas me parece uma boa notícia", disse Gates a jornalistas, enquanto visitava uma base dos EUA no Afeganistão. O criador do WikiLeaks, de 39 anos, se entregou hoje em uma delegacia londrina.

AE, Agência Estado

07 de dezembro de 2010 | 11h41

O australiano é acusado em um caso de estupro e outros crimes na Suécia, que expediu um mandado de prisão contra o ativista. Desde a semana passada, o WikiLeaks tem divulgado documentos diplomáticos dos EUA, recebendo duras críticas de Washington e de outros países. O objetivo do site é divulgar documentos secretos de governos e empresas, para garantir mais transparência nos negócios e na política mundial. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.