Robert Mugabe é recebido por milhares no Zimbábue

Presidente diz que só dialogará com oposição se grupo considerar legítima sua sexta reeleição

Agências internacionais,

04 de julho de 2008 | 08h52

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, questionado por sua controversa reeleição, foi recebido nesta sexta-feira, 4, por cerca de 4 mil simpatizantes que o aguardavam no aeroporto de Harare. Ao desembarcar, Mugabe rechaçou qualquer negociação com a oposição enquanto o grupo não reconhecer a legitimidade de sua Presidência e advertiu ainda que os vizinhos africanos pensem "duas vezes" antes de provocar o seu governo.   Veja também: Tsvangirai: de líder sindical a inimigo do regime Mugabe: uma história de 3 décadas no poder   "Sou o presidente da República do Zimbábue e essa é a realidade. Se querem dialogar, terão que aceitar isso", disse o presidente diante de milhares de pessoas. "Se existem alguns (países) que querem brigar, devem pensar duas vezes", alertou Mugabe, ganhador do segundo turno eleitoral boicotado pela oposição, ao voltar da Cúpula da União Africana. "Não pretendemos lutar com nenhum vizinho. Somos um país pacífico, porém se existe um país vizinho que tem vontade de brigar, deixemos que tente".   Mais de 200 partidários da oposição no Zimbábue acamparam na quinta-feira diante da Embaixada dos EUA em Harare para pedir refúgio. Eles disseram que estavam ali porque sofreram abusos e tiveram suas casas destruídas por apoiar o líder da oposição, Morgan Tsvangirai, nas eleições presidenciais da semana passada. A embaixada americana afirmou que estava trabalhando com ONGs para encontrar abrigo para o grupo.   Como candidato único, Mugabe foi declarado o vencedor do pleito e assumiu um novo mandato no último domingo, gerando uma onda de críticas internacionais questionando a lisura do processo eleitoral. A comissão eleitoral do país disse que Mugabe recebeu 85,5% dos votos válidos, mas observadores da própria União Africana disseram que o pleito não atingiu os padrões da organização para eleições democráticas.     "Não deixaremos que a oposição tenha ilusões, acreditando que [o resultado da eleição] pode ser revertido", disse Mugabe. "Se eles estão de acordo com ele e nós estamos satisfeitos, então poderemos dialogar e ouvir suas idéias".

Tudo o que sabemos sobre:
Zimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.