Robin Williams sofria com Parkinson, diz esposa

"A sobriedade de Robin estava intacta e ele foi bravo ao lutar suas próprias batalhas contra a depressão, além do estágio inicial da doença de Parkinson", disse Schneider

Estadão Conteúdo

14 de agosto de 2014 | 18h21

O ator Robin Williams, que foi encontrado morto em sua casa na segunda-feira, sofria com a doença de Parkinson e estava sóbrio na hora de seu suicídio, informou sua viúva nesta quinta-feira. Em depoimento, Susan Schneider disse que Williams enfrentava um quadro de depressão, ansiedade, e o diagnóstico dos primeiros estágios de Parkinson.

"A sobriedade de Robin estava intacta e ele foi bravo ao lutar suas próprias batalhas contra a depressão, a ansiedade, além do estágio inicial da doença de Parkinson, que ele ainda não havia anunciado", disse Schneider.

A morte do ator chocou fãs e amigos, apesar de sua franqueza quanto aos anos que passou lutando contra o abuso de substâncias e seus problemas de saúde mental. Com a doença de Parkinson, ele teria que lidar com ainda mais um problema.

A doença de Parkinson é uma desordem incurável do sistema nervoso que envolve a perda das células cerebrais que controlam o movimento. Tremores, algumas vezes em apenas uma mão, estão entre os sintomas dos primeiros estágios. O distúrbio pode também causar rigidez, fraqueza nas pernas, lentidão na fala e, em alguns casos, demência. Os sintomas tendem a piorar com o passar do tempo, mas podem ser tratados com medicamentos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Robin Williamsmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.