Rohani diz que seu governo nunca desenvolverá armas nucleares

Presidente iraniano afirmou que mensagem de Obama sobre acordo nuclear foi 'construtiva'

O Estado de S. Paulo,

18 de setembro de 2013 | 17h46

(Atualizada às 19h20) WASHINGTON - O presidente iraniano, Hassan Rohani, afirmou nesta quarta-feira, 18, em entrevista ao canal NBC News, que seu governo nunca irá desenvolver armas nucleares e que ele tem plena autoridade para negociar um acordo nuclear com o Ocidente.

Em declarações à emissora americana em seu complexo presidencial em Teerã, Rohani também disse que o tom da carta que recebeu recentemente do presidente dos EUA, Barack Obama, em uma troca de mensagens entre os dois líderes, foi "positivo e construtivo".

Obama afirmou, segundo a Casa Branca, que os EUA estão prontos para resolver o impasse nuclear com Teerã "de uma forma que permita ao Irã demonstrar que seu programa nuclear é exclusivamente para causas pacíficas".

"A carta também fala da necessidade de agir com certa urgência porque, como estamos dizendo há um bom tempo, a janela da oportunidade de resolver a questão diplomaticamente está aberta, mas não indefinidamente", afirmou o porta-voz da Casa Branca Jay Carney.

Para Rohani, em mais um sinal de que ele pode tentar melhorar as relações entre o Irã e o Ocidente, as mensagens "podem ser passos sutis e minúsculos para um futuro muito importante."

Mesmo com os comentários de Rohani, resta a dúvida de quanto espaço o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, dará aos negociadores, seja em conversas reservadas com Washington ou em negociações com potências ocidentais.

Declarações sobre a necessidade de uma "flexibilização" feitas por Khamenei nesta semana indicam uma posição disposição em buscar uma solução para o impasse com o Ocidente.

Os comentários do presidente iraniano foram feitos seis dias antes de sua viagem aos EUA para participar da Assembleia-Geral da ONU - que começou terça-feira. Desde que foi eleito em junho, Rohani fala em uma "interação construtiva" entre o Irã e as potências ocidentais - discurso oposto ao que adotava seu antecessor, Mahmoud Ahmadinejad.

Os EUA e alguns de seus aliados suspeitam que Teerã tem a ambição de desenvolver um programa nuclear bélico. O Irã sustenta que seu programa nuclear é civil e tem finalidades pacíficas, como a geração de energia elétrica e a pesquisa de isótopos medicinais, estando de acordo com as normas do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, do qual é signatário./ REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.