Roma ainda não confirma libertação de italiano seqüestrado

O Ministério das Relações Exteriores da Itália não confirmou ainda a libertação de um cidadão italiano seqüestrado hoje na Faixa de Gaza, informada pela europarlamentar Luisa Morgantini. A europarlamentar italiana, presente em Khan Yunes, anunciou a libertação a meios de comunicação italianos, embora tenha ressaltado que ainda não tinha visto o seqüestrado. "Deve reunir-se conosco em alguns minutos", disse.O ministro italiano das Relações Exteriores, Gianfranco Fini, após saber do seqüestro, encarregou o consulado geral em Jerusalém de contatar as autoridades palestinas "de mais alto nível, para que o caso seja resolvido de maneira positiva o mais rápido possível", segundo um comunicado.Uma unidade de crise está trabalhando desde começo da manhã no caso do cidadão seqüestrado, cuja identidade não foi informada pela chancelaria. Segundo fontes palestinas de segurança, o refém é Alessandro Piero.Piero, um pacifista e estudante universitário assistente de Morgantini, integrava uma delegação da União Européia, que realiza uma visita de solidariedade com o povo palestino na Faixa de Gaza, informaram meios de comunicação italianos.SeqüestroO seqüestro teria ocorrido após uma reunião de trabalho na sede de uma organização humanitária italiana, no centro de Khan Yunes, por palestinos armados e com o rosto coberto, membros de uma facção das Brigadas dos Mártires de al-Aqsa, que levaram o jovem em um automóvel, segundo a mídia italiana.A delegação se dirigia para o ônibus em que viajavam quando apareceram quatro homens mascarados disparando para o ar e levaram a pessoa que estava mais próxima. A Promotoria de Roma abrirá amanhã um dossiê sobre o seqüestro de Piero, indicaram fontes judiciais, que agregaram que esperam uma comunicação oficial do Ministério das Relações Exteriores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.