Romênia agora investiga casamento cigano de menina de 12 anos

Ana Maria Cioba estava linda, de véu e grinalda, toda de branco. Parecia ser sua primeira comunhão, mas era seu casamento. Só que Ana Maria, de 12 anos, não estava feliz. Fugiu da igreja e só acabou voltando para não provocar a ira do pai. Mas provocou um escândalo na Europa e as autoridades romenas tiveram de anunciar, hoje, que estão investigando se a jovem noiva foi obrigada a consumar seu casamento.A cerimônia aconteceu no sábado , na cidade de Sibiu, na Transilvânia, e apareceu, assim como a fuga da noiva, em jornais de todo o mundo. O noivo era Birita Mihai, de 15 anos, cigano como Ana Maria. A idade para contrair-se casamento, na Romênia, é 18 anos, mas as autoridade toleram a prática dos ciganos Roma de casarem seus filhos adolescentes. Só, que desta vez, houve condenações da União Européia e grupos de direitos humanos.A polícia de Sibiu agora investiga se Mihai é culpado de ter mantido relações com uma menor de idade, diz Calin Tatu, porta-voz da delegacia local, Cristina Sasu. Foram pedidos exames médicos para estabelecer se o casamento foi consumado. Se Mihai for condenado, pode ser enviado a um centro correcional.O padre Doru Viorel Ursu negou versões de que a menina tenha sido violentada pelo noivo, na noite de núpcias. Não esclareceu, porém, se mantiveram relações sexuais consentidas. Ursu defende esse casamento como costume de seu povo, mas um funcionário do governo, Serban Mihailescu, diz que a adolescente pode ser enviada a um abrigo de menores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.