Romênia anuncia retirada de tropas do Iraque

O primeiro-ministro Calin Popescu Tariceanu anunciou nesta quinta-feira que a Romênia vai retirar seus 890 soldados do Iraque devido a preocupações com a segurança e o custo da operação. Segundo o premier, o presidente Traian Basescu já foi informado da decisão e ele agora pretende comunicá-la aos Estados Unidos"A morte e ferimentos sérios de soldados romenos têm se tornado uma preocupação", disse Tariceanu, num anúncio que surpreendeu a muitos. Um soldado romeno já morreu no Iraque e quatro outros, no Afeganistão.O ministro da Defesa, Teodor Atanasiu, apresentará formalmente o pedido ao órgão máximo de defesa do país, que tem o poder de decidir sobre a retirada.Atanasiu alegou que a Romênia irá economizar com a retirada US$ 90 milhões. "A questão financeira não deve ser ignorada", frisou.O premier relatou já ter conversado com a Grã-Bretanha sobre a retirada das tropas, uma vez que elas operam no Iraque sob o comando britânico e italiano.A retirada se dará quando chegar o momento da rotação das tropas, "em novembro ou dezembro". Ele lembrou que as tropas italianas irão sair do Iraque até o fim do ano, o que deixaria os soldados romenos sem apoio logístico e sem um centro de comando na cidade iraquiana de Nasiriya.Críticas O governista Partido Conservador e dois outros partidos menores da coalizão afirmaram concordar com a retirada. Entretanto, o anúncio foi imediatamente criticado pelo Partido Democrático, o segundo maior partido da coalizão governista."Isto é uma irresponsabilidade que afeta a credibilidade da Romênia... Demonstra a falta de respeito pela coalizão", reclamou o líder do partido, Emil Boc. Ele disse que sua agremiação não foi consultada sobre a decisão.O presidente Basescu havia dito anteriormente que as tropas romenas permaneceriam no Iraque, mas o apoio público à presença, que já era reduzido, caiu ainda mais na semana passada depois que um soldado do país foi morto no Afeganistão. A tevê mostrou imagens da viúva e da filha do soldado - assim como de Basescu - chorando quando o corpo retornou. A Romênia também mantém cerca de 700 soldados no Afeganistão e 250 na Bósnia, Kosovo e Macedônia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.