Romeno apaixonado inventa processos para rever juíza

Não existem barreiras para um homem apaixonado. O romeno Sandu Gurguiatu transformou um simples processo trabalhista em um caso de amor platônico. Motivo: das 13 vezes em que moveu processos contra a empresa em que trabalhava, 12 foram apenas para retornar ao tribunal e contemplar um pouco mais da sua paixão secreta: a juíza Elena Lala.Gurguiatu compareceu a uma corte da cidade de Focsani há quatro anos devido a uma demissão injusta. Porém, ao colocar os olhos na juíza Elena, ele decidiu ir mais fundo nas suas reclamações trabalhistas e processar repetidas vezes os antigos empregadores, inventado todos os motivos possíveis para voltar ao tribunal e reencontrar a magistrada."Eu fiquei perdidamente apaixonado por ela e quando descobri que era casada, não sabia o que poderia fazer para voltar a vê-la", contou Gurguiatu. O apaixonado resolveu então ler um livro de leis trabalhistas, para poder processar novamente o antigo patrão. "Retornei ao tribunal com todos os tipos de problemas", disse o romeno. A juíza Elena afirmou estar surpresa pela revelação de seu admirador: "Eu lembro de julgar os seus casos, mas, para mim, todos os casos são iguais".Quando Elena julgou o primeiro caso de Gurguiatu, ele acabou perdendo a ação, junto com o coração. O romeno não teve o amor correspondido mas ganhou alguns dos processos seguintes, inclusive o direito a duas toalhas e sabão suficiente para se lavar no trabalho.

Agencia Estado,

15 de julho de 2004 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.