Romney ataca Obama durante prévias esvaziadas

Oficialização do ex-governador de Massachusetts como candidato republicano na eleição presidencial pode sair após as primárias de 5 Estados ontem

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2012 | 03h07

Provável adversário do presidente Barack Obama nas eleições de novembro, o republicano Mitt Romney esperava confirmar seu nome de maneira oficial após as primárias de ontem. As prévias realizadas em cinco Estados foram esvaziadas pela desistência de Rick Santorum e em razão da falta de competitividade dos outros dois pré-candidatos, Newt Gingrich e Ron Paul.

Nos Estados de Nova York, Delaware, Pensilvânia, Connecticut e Rhode Island, os eleitores não demonstravam entusiasmo com as prévias de ontem - a noite que distribuiu mais delegados desde a Superterça. Um dos postos de votação em Manhattan ficou vazio a manhã toda, a não ser por dois eleitores que se dispuseram a votar.

Há duas semanas, desde a desistência de Santorum, que ocupava a segunda posição na corrida, analistas e membros do Partido Republicano deixaram de lado as primárias para manter o foco em Obama. Apesar de Romney não ter matematicamente o total de delegados necessários, é praticamente impossível que Paul e Gingrich o ultrapassem.

Ao longo da semana, Romney fez campanha nos cinco Estados. Na Pensilvânia, fez discurso ao lado do senador da Flórida Marco Rubio, cotado para vice em sua chapa e muito popular entre os eleitores hispânicos. No entanto, durante todo o tempo ele buscou contrastar sua candidatura com a de Obama, não com a dos dois remanescentes na disputa.

"Eu gostaria que vocês fossem votar e me dessem seu apoio para eu poder enfrentar o presidente Obama em novembro", afirmou o republicano. Até agora, Romney possui 698 delegados dos 1.144 necessários. Gingrich tem somente 137 e Paul, 75. Ainda estão em jogo 1.115, sendo que 222 seriam definidos nas prévias de ontem.

Gingrich investiu seus últimos esforços em Delaware. Sua campanha, cada vez mais em crise, tinha a esperança de surpreender e vencer Romney no pequeno Estado americano. Paul, depois de um comício gigantesco na Universidade Cornell, não descartou a possibilidade de vencer em Nova York, um Estado no qual Romney sempre foi favorito.

Num sinal de que a campanha deve chegar ao fim, uma das filhas de Gingrich afirmou ontem que seu pai avaliaria após as primárias de ontem a viabilidade de permanecer na disputa. As doações para o candidato diminuíram e um de seus cheques para o pagamento de gastos de campanha voltou por falta de fundos.

Depois de apurados os votos na noite de ontem, Romney, ex-governador de Massachusetts, iria para o Estado de New Hampshire, que deve ser um dos principais palcos da batalha eleitoral de novembro, onde faria um discurso intitulado "Uma América melhor começa hoje".

Em algumas pesquisas, Romney aparece na frente de Obama na disputa pela presidência dos EUA. Em termos de votos no Colégio Eleitoral - a disputa Estado por Estado -, no entanto, o republicano ainda aparece em desvantagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.