Jessica Rinaldi/Reuters
Jessica Rinaldi/Reuters

Romney causa polêmica em visita ao Reino Unido

Candidato do Partido Republicano questionou se o país está preparado para realizar as Olimpíadas

AE, Agência Estado

26 de julho de 2012 | 13h48

LONDRES - O candidato do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, causou polêmica no Reino Unido nesta quinta-feira, 26. Ele questionou se o país está preparado para realizar os Jogos Olímpicos sem problemas. "É difícil saber como vai terminar", disse ele à NBC News, e chamou de "desconcertante" as tardias preocupações sobre o pessoal de segurança. Com a Olimpíada como pano de fundo, ele está em viagem para visitar os principais políticos do Reino Unido. Romney tenta passar a mensagem de que reconhece os laços entre os EUA e seu principal aliado e também projetar uma imagem de liderança.

Veja também:

link Romney acusa Obama de vazar dados sobre Bin Laden

link Romney é favorito quando o assunto é economia

O primeiro-ministro Daivid Cameron ficou momentaneamente na defensiva. Em resposta aos comentários de Romney ele disse: "estamos realizando uma Olimpíada em uma das mais ativas, movimentadas e agitadas cidades do mundo. É óbvio que é mais fácil se você realizar os Jogos Olímpicos no meio do nada". Cameron provavelmente estava referindo-se à Utah, onde Romney organizou os Jogos Olímpicos de Inverno.

Durante a parte pública de seu encontro com Cameron, o republicano tentou suavizar suas declarações anteriores: "é impossível que absolutamente nenhum erro ocorra". Após a reunião, Romney disse ter conversado com Cameron sobre a Síria, Líbia, Paquistão e outros países.

Ele também encontrou-se com o ex-primeiro-ministro Tony Blair. Sua campanha informou que os dois discutiram o Oriente Médio e questões econômicas que seus países enfrentam.

O republicano deve reunir-se com Nick Clegg, o vice-primeiro-ministro, e Ed Miliband, líder do Partido Trabalhista, da oposição. As conversas - e as fotos - com políticos ingleses têm como objetivo retratar o candidato como um plausível líder mundial.

"Nós temos uma relação muito especial entre os Estados Unidos e Grã-Bretanha", disse Romney durante uma entrevista no primeiro dia da viagem internacional que também o levará pra Polônia e Israel. "Ela remonta ao nosso começo - cultural e histórico."

Romney é ex-governador de Massachusetts, sem experiência com a política mundial. Ele espera persuadir os eleitores de que suas décadas de homem de negócios o colocaram em contanto com as principais questões internacionais, que não é um novato, e deve ser o presidente em um mundo complexo e perigoso.

A sua viagem ocorre logo após fortes críticas contra a política externa do presidente Barack Obama, que concorre à reeleição pelo Partido Democrata. Romney chegou a acusar a Casa Branca de buscar vantagens políticas ao vazar arquivos secretos com detalhes sobre a ação militar que matou Osama bin Laden.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.