Romney critica Obama por economia após vitória

Após vencer as primárias republicanas em mais cinco Estados americanos na terça-feira, ampliando suas chances de garantir a candidatura presidencial pelo Partido Republicano, Mitt Romney disse aos eleitores logo em seguida que os pouparia de mais quatro anos do que ele chamou de "falsas promessas e fraca liderança" do presidente Barack Obama.

AE, Agência Estado

25 de abril de 2012 | 12h46

O ex-governador de Massachusetts emergiu da disputa de ontem reafirmando sua determinação de criticar Obama pela forma que conduz a recuperação da economia dos Estados Unidos de seu maior colapso desde a Grande Depressão da década de 1930.

"Quando vejo os milhões de americanos sem trabalho, os formados que não conseguem emprego, os soldados que voltam para casa para enfrentar a fila do desemprego, me corta o coração", disse Romney durante seu discurso de vitória em New Hampshire, onde obteve sua primeira vitória, em 10 de janeiro. "Não precisa ser assim. Isso é resultado de uma liderança falha e visão distorcida".

Romney, que foi beneficiado pela desistência neste mês de Rick Santorum da disputa pela candidatura republicana, tem destacado a fragilidade da economia, o assunto de maior importância para os eleitores. Os americanos acreditam que Romney está mais bem preparado para lidar com as questões econômicas do que Obama, segundo pesquisas recentes.

Por outro lado, os levantamentos mostram também que Obama tem uma taxa de favoritismo bem maior e que lidera nos doze Estados que deverão ser decisivos na campanha pela Casa Branca. As eleições presidenciais estão marcadas para 6 de novembro.

Ontem, Romney venceu as primárias de Nova York, Rhode Island, Connecticut, Delaware e Pensilvânia nas primeiras disputas desde que Santorum, um ex-senador da Pensilvânia, suspendeu sua campanha. "Após 43 primárias e caucuses, muitos dias longos e algumas noites longas, posso dizer com confiança - e gratidão - que vocês me concederam uma grande honra e solene responsabilidade", disse.

Agora, a tarefa de Romney é persuadir o eleitorado independente de que ele é o mais indicado para assumir a Casa Branca. Obama ganhou a presidência em 2008 em meio à mais grave crise econômica a atingir os EUA em sete décadas. Desde então, o crescimento no país tem sido modesto e o desemprego vem diminuindo gradualmente, enquanto os preços dos imóveis continuaram a cair em várias partes do país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEIÇÃO PRESIDENCIAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.