Tomasz Gzell/Efe
Tomasz Gzell/Efe

Romney descreve os poloneses como 'amigos inabaláveis dos Estados Unidos'

Esta é a última parte da viagem internacional do republicano, que foi marcada por gafes e polêmicas

AE, Agência Estado

31 de julho de 2012 | 10h09

VARSÓVIA - O candidato do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, elogiou a população da Polônia nesta terça-feira, 31, descrevendo os poloneses como inabaláveis amigos dos Estados Unidos. Para ele, as duas nações são ligadas pela luta contra a Cortina de Ferro e a oposição à economia controlada pelo governo.

Veja também:

linkPalestinos criticam Romney por chamar Jerusalém de 'capital de Israel'

tabela ESPECIAL: Eleições nos EUA

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Esta é última parte da viagem internacional do ex-governador de Massachusetts, que foi marcada por gafes e polêmicas. O objetivo da campanha é apresentar Romney com um candidato com talentos diplomáticos e preparado para ser um líder mundial, e assim impedir a reeleição do presidente Barack Obama.

O republicano disse para a audiência em Varsóvia que eles devem seguir no caminho em direção a uma economia capitalista robusta e continuem a marchar em direção à "liberdade econômica e Estado menor", em vez de "dar ouvidos à falsa promessa de uma economia controlada pelo governo."

Ele defendeu as mesmas premissa que dominam sua mensagem eleitoral nos Estados Unidos, onde critica Obama como um líder determinado a expandir o envolvimento do governo na economia norte-americana. Ao citar a Polônia como um exemplo econômico, Romney não mencionou que o desemprego do país é de 12,4%, maior do que a taxa nos Estados Unidos, de 8,2%.

Apesar da política externa ser o assunto predominante da tour, a corrida presidencial depende de qual candidato os eleitores vão avaliar como o mais preparado para estimular o crescimento econômico. Espera-se que o pleito seja decidido pelo menor margem da história recente.

A estadia de dois dias na Polônia visa agradar eleitores católicos e descendentes de poloneses nos EUA, e ressalta a opinião de Romney quanto à Rússia. Ele já caracterizou Moscou como o "o inimigo geopolítico número 1" dos norte-americanos, rótulo que é bem-vindo em uma nação que ainda teme a Rússia.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.