Romney empata com Obama, indica pesquisa

Primeiro levantamento nacional após saída de Santorum da disputa mostra avanço de ex-governador republicano nos EUA

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2012 | 03h07

Mitt Romney, provável candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, empatou com Barack Obama na disputa para a Casa Branca em novembro, de acordo com pesquisa do New York Times/CBS, publicada ontem. Em levantamentos dos institutos Gallup e Rasmussen, ele superaria o presidente por quatro pontos porcentuais.

Esses são os primeiros dados divulgados depois que Rick Santorum, principal adversário de Romney, abandonou as primárias do partido, praticamente consolidando o ex-governador de Massachusetts como candidato republicano, apesar de o ex-presidente da Câmara Newt Gingrich e de o deputado Ron Paul ainda estarem oficialmente na disputa.

De acordo com a pesquisa New York Times/CBS, tanto Romney quanto Obama têm 46% das intenções de voto. Em março, quando foi divulgado o levantamento anterior, o presidente superava o republicano por três pontos porcentuais.

Na pesquisa do Gallup, o republicano tem 48%. Obama, 44% - também com uma tendência de alta para o republicano. "As pesquisas dão segurança aos eleitores e líderes republicanos de que Romney poderá ser competitivo", afirma Alexander Burns, do site Politico.

O cenário econômico, segundo analistas, será decisivo para definir o vencedor em novembro. Caso a taxa de desemprego mantenha a tendência de redução e o reaquecimento da economia seja acelerado, Obama deve ser favorecido.

Uma piora nos índices econômicos, aliado a uma elevação no preço da gasolina, beneficiaria Romney, especialmente em Estados onde não há um predomínio claro de democrata ou republicano.

A eleição nos EUA não é direta. O presidente é escolhido por um colégio eleitoral composto por 538 votos - quem obtiver 270 votos vence. O vencedor em cada Estado leva todos os votos estaduais no colégio eleitoral. Um candidato pode, portanto, ter mais voto popular, mas perder no fim.

Foi o que ocorreu em 2000, quando o democrata Al Gore recebeu meio milhão de votos a mais que o republicano George W. Bush, mas teve cinco votos a menos no colégio eleitoral.

No momento, Obama mantém a dianteira consolidada em 19 Estados, que representam 227 votos no colégio eleitoral. Romney lidera as pesquisas em 21 Estados, que têm 170 votos no colégio eleitoral. Os outros 141 votos estão em Estados em que a disputa está acirrada e serão os principais palcos da batalha eleitoral de novembro, entre eles Flórida, Colorado, Pensilvânia, Virgínia e Ohio.

Romney, segundo os dados de pesquisas, ainda enfrenta resistência mesmo dentro de seu partido. Apenas um terço diz estar empolgado com a sua provável escolha como candidato. A ala ultraconservadora ainda o enxerga como moderado em questões sociais. Ainda assim, o ex-governador de Massachusetts tem conseguido atrair o apoio dos principais líderes republicanos.

Apesar de precisar esperar até agosto, quando ocorre a Convenção Republicana, para ser nomeado oficialmente, Romney já ampliou seus esforços para arrecadar fundos de campanha e também formou uma equipe especialmente para definir quem deve ser o seu parceiro na chapa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.