Romney equilibra disputa em Estados decisivos

Em pesquisas realizadas em Ohio e Flórida, republicano aparece em empate técnico com Barack Obama, 0,7 ponto porcentual à frente do democrata

GUSTAVO CHACRA , CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2012 | 03h04

Uma semana depois de ser considerado o vencedor do debate entre os candidatos à presidência dos EUA, o republicano Mitt Romney, que já superava o democrata Barack Obama em algumas pesquisas nacionais de intenção de voto, equilibrou a disputa nos chamados swing states, onde não há predomínio claro de nenhum dos partidos rivais.

Na média dos resultados das sondagens em Ohio, um dos Estados principais para a definição da eleição americana, Obama apareceu apenas 0,7 ponto porcentual à frente de Romney, o que indica um empate técnico.

Antes do debate, muitos analistas e até certos republicanos afirmavam que era praticamente impossível reverter o cenário em Ohio, onde o presidente aparecia com 6 pontos porcentuais de vantagem.

Caso vença no Estado, Romney terá um caminho mais simples para conquistar a presidência. Nos EUA, o vencedor é o candidato que conquista o maior número de votos no Colégio Eleitoral. Na grande maioria dos Estados, ao vencer na eleição popular, o candidato ganha os votos de todos os seus delegados. Cada Estado tem direito a um número de votos de acordo com sua população. Por esse motivo, Nova York tem bem mais representantes do que Idaho, por exemplo. Ganha, no fim, quem conseguir a maioria dos 538 votos do Colégio Eleitoral - ou seja, ao menos 270.

Na maior parte dos Estados, levando em conta pesquisas e a tendência do eleitorado no passado, já é possível prever quem será o vencedor. Na Califórnia, Obama. No Texas, Romney.

Segundo as últimas projeções, o presidente possui 237 delegados garantidos, contra 191 do seu adversário.

Na Flórida, outro importante swing state, Romney também aparece 0,7 ponto porcentual à frente de Obama, de acordo com a média das pesquisas calculada pelo instituto Real Clear Politics.Esse cenário não ocorria desde junho.

O republicano também aparece à frente do democrata no Colorado pela primeira vez em toda a corrida eleitoral, mas em empate técnico. Em Virgínia, Romney reduziu a diferença e emparelhou-se com o presidente. O opositor se aproximou de Obama ainda em Michigan, Iowa, New Hampshire e Pensilvânia.

Os resultados refletem uma melhora de Romney nas pesquisas nacionais. A sondagem Reuters/Ipsos indicou ontem um empate dos dois candidatos no cenário nacional, em 47%. Na Pew Research, o republicano, que ontem se concentrou na arrecadação de fundos, supera Obama por 4 pontos porcentuais.

Nas bolsas de apostas em Londres, a previsão de que Obama será reeleito caiu nos últimos dias e está em 61,2%. Nate Silver, analista de pesquisa mais respeitado dos EUA, aponta em 71,4% a chance de o presidente vencer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.