Romney faz esforço para salvar candidatura

Ex-governador de Massachusetts jogou tudo na Califórnia para manter-se vivo na disputa

O Estadao de S.Paulo

06 de fevereiro de 2008 | 00h00

Mitt Romney passou a campanha inteira desfilando seu penteado impecável, subindo nos palanques como se tivesse acabado de sair do cabeleireiro. Ontem, quando chegou na cidade de Charleston, às 5 horas , o candidato estava completamente descabelado.O ex-governador de Massachusetts havia passado a noite toda fazendo comícios ao redor do país, numa tentativa desesperada de ganhar alguns votos. Enquanto John McCain busca uma confirmação de seu favoritismo na Superterça, Romney precisava de uma vitória na Califórnia para sobreviver.O empresário já torrou mais de US$ 35 milhões em sua campanha, sendo US$ 17 milhões do próprio bolso, e ganhou apenas nas prévias menos importantes - Michigan, Wisconsin, Nevada e Maine. ''''O retorno do investimento foi bastante baixo'''', brincou seu rival democrata Barack Obama.McCain lidera com vantagens de dois dígitos na maioria dos Estados da Superterça, incluindo os importantes Nova York e New Jersey. Mas na Califórnia, que determina o maior número de delegados (170), Romney estava na frente. Segundo a última pesquisa da Zogby-Reuters, Romney tinha 40% dos votos e McCain, 33%. Em um comício no Tennessee, Romney arriscou: ''''Se eu vencer na Califórnia, isso significa que vocês terão um conservador na Casa Branca.''''McCain ganhou apoio de governadores populares como Arnold Schwarzenegger, da Califórnia, Charlie Crist, da Flórida, e George Pataki, ex-governador de Nova York. Mas Romney apresenta-se como a alternativa realmente conservadora a McCain e tem o apoio da facção ultraconservadora do Partido Republicano. Apesar de ter sido um governador razoavelmente liberal, ele agora abraçou causas dos conservadores, como expulsar os imigrantes ilegais, dobrar a prisão de Guantánamo, aumentar os cortes de impostos. Ele também se vende como o único candidato que entende de economia e poderia tirar o país da recessão.Mas o fato de Romney ter mudado de idéia em relação a várias questões, entre elas o direito ao aborto, causa desconfiança. Além disso, o ex-governador do Arkansas Mike Huckabee não dá sinais de que vai desistir. Ele é a pedra no sapato de Romney, porque o impede de subir mais nas pesquisas ao roubar votos conservadores.Ontem, Romney planejava voltar à Califórnia e continuou alimentando a controvérsia ''''quem é o conservador de verdade''''. O ex-senador Bob Dole, que foi candidato derrotado à presidência, mandou uma carta ao radialista Rush Limbaugh pedindo que ele parasse de atacar McCain. Em entrevista à Fox News, Romney disse que Dole era ''''provavelmente a última pessoa que eu gostaria de ter escrevendo uma carta em minha defesa''''.Se Romney conseguir fisgar a Califórnia ele pode se animar e continuar fazendo cheques, em vez de desistir da disputa. Um dos assessores de Romney afirmou que o candidato estaria disposto a gastar até US$ 40 milhões de seu próprio bolso. 85delegados conquistados até a Superterça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.