Romney indicou vice 10 dias antes de anúncio

Assessora dá detalhes sobre escolha de Paul Ryan como companheiro de chapa

PHILIP RUCKER, THE WASHINGTON POST, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2012 | 03h05

O caminho de Paul Ryan até a confirmação de que ele seria companheiro de chapa de Mitt Romney foi cercado de mistério, segredos e foi decidido dez dias antes do anúncio oficial, feito no sábado em Norfolk, no Estado de Virgínia.

Tudo começou com um passeio perto de sua casa em Janesville, no Estado de Wisconsin, onde ele cresceu. Para sair de casa sem ser identificado, ele escapuliu pela porta dos fundos e caminhou pela floresta. "Conheço aquelas árvores na palma da minha mão, por isso não foi muito difícil", disse Ryan. "Foi a maior honra da minha vida."

De lá, Ryan foi levado para o aeroporto em Waukegan, em Illinois, e não foi visto até a manhã de sábado, quando ele desceu do navio desativado USS Wisconsin, em Norfolk, no Estado de Virgínia, para participar do anúncio oficial ao som da trilha sonora do filme Air Force One.

A viagem de Ryan até Norfolk, detalhada por Beth Myers, assessora do candidato Mitt Romney, ilustra bem o esforço da campanha para manter a escolha sob sigilo total durante dez dias. "Sabíamos que teríamos de fazer isto muito discretamente", disse Beth durante uma coletiva sábado à noite no aeroporto de Washington.

Ela contou detalhes dos quatro meses de um intenso processo de pesquisa, absolutamente confidencial, chefiado por ela, no qual Romney deu a palavra final. O procura pelo vice, segundo Beth, começou quando ele obteve a nomeação do Partido Republicano, em abril.

Beth reuniu-se com o ex-vice-presidente Dick Cheney e com o ex-secretário de Estado James Baker, que já haviam comandado esse tipo de busca em outras ocasiões.

Em abril, ela apresentou a Romney uma longa lista de candidatos e, no início de maio, ele já havia reduzido bastante o número de possíveis companheiros de chapa. Beth, no entanto, não revelou quem fez parte da lista, embora muita gente acredita que tenha contado com o ex-governador de Minnesota Tim Pawlenty e com o senador Rob Portman, de Ohio.

Ao longo de maio e junho, uma pequena equipe de advogados trabalhou em uma sala secreta da sede da campanha em Boston. Eles vasculharam dados financeiros de cada um dos candidatos, declarações de imposto de renda e investigaram qualquer possibilidade de haver um escândalo de última hora envolvendo o vice.

Em meados de junho, Beth reuniu-se com Romney para analisar os relatórios preliminares de cada um e, mais tarde, no mesmo mês, em uma propriedade de Romney no Estado de Utah, ela se encontrou pessoalmente com vários dos candidatos para esclarecer pontos obscuros.

Romney consultou regularmente sua equipe de estrategistas - Stuart Stevens, Russ Schriefer, Matt Rhoades, Pedro Flaherty, Eric Fehrnstrom, Ed Gillespie e Ron Kaufman, Neil Newhouse e Bob White.

Beth disse que tentou manter a imparcialidade e não deu conselhos a Romney sobre quem escolher. Segundo ela, Romney bater o martelo ainda em junho, mas optou por realizar o anúncio formal em agosto, após sua viagem para a Grã-Bretanha, Polônia e Israel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.