Brian Blanco/Efe
Brian Blanco/Efe

Romney tenta desestabilizar Gingrich em debate republicano

Duelo entre pré-candidatos, empatados nas intenções de voto na Flóridam, protagonizou debate

Efe,

24 de janeiro de 2012 | 07h24

WASHINGTON - O aspirante republicano Mitt Romney atacou o histórico empresarial e a capacidade de liderança de seu rival Newt Gingrich, que se mostrou firme e revitalizado pela vitória obtida na Carolina do Sul no último sábado.

Veja também:

blog PARA ENTENDER: Os Super-Pacs

tabela ESPECIAL: Eleições nos EUA 2012

O duelo entre os dois pré-candidatos, virtualmente empatados quanto às intenções de voto na Flórida segundo as últimas pesquisas, protagonizou o debate que os quatro aspirantes republicanos em disputa mantiveram na Universidade do Sul desse estado, na cidade de Tampa.

Romney, que até uma semana atrás era o claro favorito na corrida republicana, não duvidou em classificar Gingrich de "vendedor ambulante de influências", em referência ao seu trabalho de consultoria para o gigante hipotecário Freddie Mac.

Além disso, lembrou a investigação que em 1998 levou seu rival a renunciar ao posto de presidente da Câmara de Representantes, depois que o comitê de ética dessa Casa ter avaliado seu suposto uso indevido de fundos.

"Acho que as eleições se tratam de liderança. O ex-porta-voz teve a oportunidade de liderar nosso partido em 1994 e, após quatro anos, teve que resignar-se à desonra", atacou Romney.

Gingrich alegou que não passaria "a noite rebatendo a desinformação de Romney", que reconheceu ter adotado ultimamente um tom mais agressivo contra seus rivais, após um início de campanha focado no presidente Barack Obama.

Pouco depois de a empresa de consultoria que possui, a Gingrich Group, ter divulgado que em 2006 recebeu US$ 25 mil mensais do Freddie Mac por serviços de assessoria, o pré-candidato rejeitou as acusações sobre suposto lobby em prol da companhia em Washington.

"Nunca em minha vida estive envolvido com lobby. Oferecia conselhos estratégicos, baseados em meu conhecimento da história, incluindo a de Washington", garantiu Gingrich.

"Ninguém paga essa quantia para contratar um historiador", replicou o ex-governador de Massachusetts.

Com a publicação de sua declaração de impostos prevista para terça-feira, 24, Romney também foi pressionado durante o debate, no qual assegurou que os americanos poderão ver como ele paga "todos os impostos requeridos por lei, e nem um dólar mais".

Apesar disso, Romney foi criticado por pagar uma taxa impositiva de 15%, abaixo da média dos cidadãos americanos.

A economia e o suposto excesso na regulação financeira centraram novamente o debate, no qual o ex-senador Rick Santorum criticou Gingrich e Romney por terem apoiado o processo de resgate financeiro às grandes firmas após crise financeira de 2008.

"Não há diferença entre o presidente Barack Obama e estes dois cavalheiros", assegurou.

As primárias da Flórida acontecerão no próximo dia 31, e tanto Gingrich como Romney se opuseram ao uso de cédulas em espanhol no processo, apesar de ambos terem divulgado anúncios de campanha nesse idioma no estado. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
eleicoes-nos-euadebate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.